Silas Malafaia e Marco Feliciano durante atos de apoio a Bolsonaro na Avenida Paulista - Foto: Reprodução
Silas Malafaia e Marco Feliciano durante atos de apoio a Bolsonaro na Avenida Paulista - Foto: Reprodução

O Governo de São Paulo, através da Vigilância Sanitária, multou o presidente Jair Bolsonaro e os pastores Silas Malafaia, Magno Malta e Marco Feliciano (deputado, Republicanos-SP) por não terem usado máscaras nas manifestações desta terça-feira, 7 de setembro.

Eles foram autuados por contrariarem lei que determina o uso de máscaras para evitar a disseminação da Covid-19 durante a pandemia no Brasil.

A multa pode chegar a R$ 1,5 milhão e esta é a sétima autuação de Bolsonaro por descumprir medidas sanitárias de contenção da pandemia em São Paulo.

Também foram multados Tarcísio de Freitas (ministro da Infraestrutura), Mário Frias (secretário especial da Cultura), André Porciuncula (subsecretário de Fomento e Incentivo à Cultura), Carla Zambelli (deputada, PSL-SP), General Girão (deputado, PSL-RN), Marcio Labre (deputado, PSL-RJ), Danilo Balas (deputado estadual, PSL-SP) e Suéllen Rosim (prefeita de Bauru, Patriota). Também foram autuados o empresário Luciano Hang e o cantor Netinho.

De acordo com o governo Doria, Bolsonaro e os pastores infringiram a lei federal nº 14.019 de 2020, que torna obrigatória a utilização de máscaras em eventos públicos, e a lei estadual nº 6.437 de 1977.

Fonte: Folha de São Paulo