O chefe da Igreja Católica Romana da Inglaterra e do País de Gales, Vincent Nichols, pediu que o papa Bento 16 considere a potencial remoção de um título de cavaleiro papal conferido a Jimmy Savile, ex-apresentador da BBC acusado de pedofilia.

A honraria foi concedida ao britânico, que morreu no ano passado aos 84 anos, por suas obras de caridade.

Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, disse que a Igreja está muito preocupada com o caso e que o título jamais deveria ter sido oferecido a Savile.

“A Igreja está profundamente entristecida pelo fato de uma pessoa cuja reputação foi manchada desta forma pôde, durante sua vida, ter sido oferecida uma honraria pela Santa Sé, e que em vista das últimas informações certamente não deveria ter sido concedida”.

Ele acrescentou que não há um processo para a retirada do título porque de acordo com as regras da Igreja ele “morre” junto com seu detentor.

Já há pedidos também para que a monarquia britânica retire o título de “sir” concedido a Savile.

Savile é um ex-apresentador e DJ célebre por sua imagem exótica, ostentando joias de ouro, um charuto e cabelos claros, que tornou-se uma verdadeira “lenda” da TV na Grã-Bretanha.

Agora, ele está sendo investigado por dezenas de suspeitas de abuso sexual. Há relatos de que Savile usava sua posição como celebridade nacional e aproveitava as maratonas beneficentes que realizava pelo país para atrair e ganhar a confiança de suas supostas vítimas.

[b]Fonte: Diário de Pernambuco[/b]