O cardeal Sean O’Malley divulgou uma lista de padres acusados de abusar sexualmente de crianças em Boston nos últimos 60 anos, mas optou por não incluir alguns nomes.

Em uma carta, O’Malley disse que 248 padres de Boston e dois diáconos foram acusados de abuso sexual desde 1950. Mas ele decidiu não revelar 91 nomes, entre eles os de padres não acusados publicamente em vida, aqueles trabalhando em Boston sob ordens religiosas ou outras dioceses e os que tenham sofrido acusações com poucas provas.

Cada um dos 159 nomes revelados nesta quinta-feira já havia se tornado público anteriormente, mas não necessariamente pela diocese. Estão na lista padres ainda na ativa que foram absolvidos após serem acusados publicamente.

O’Malley admitiu que muitos vão questionar poque ele não foi mais longe e revelou mais nomes, mas ele citou preocupações quando ao processo legal e à reputação dos padres – vivos e mortos – acusados de crimes antigos com comprovação muito complicada.

“No ambiente atual, um padre acusado de abusar sexualmente de um menor pode nunca mais recuperar sua reputação, mesmo se absolvido após procedimentos cíveis e canônicos”, justificou, “Essas preocupações também surgem em relação a padres mortos, que muitas vezes são acusados anos depois da morte sem a oportunidade de se defender”.

O’Malley disse que o esforço da arquidiciocese em compilar uma lista de clérigos acusados é mais um passo adiante na iniciativa de tomar a responsabilidade pelos abusos e evitar que volte a ocorrer outro escândalo desse tipo. A polêmica surgiu em Boston em 2002 e se espalhou por todo o país, revelando que líderes da igreja trocavam padres pedófilos de paróquia, acobertando seus crimes.

[b]Fonte: AP[/b]