Padres fazem confessionário pelo sistema de drive-thru, na Polônia.
Padres fazem confessionário pelo sistema de drive-thru, na Polônia.

As dioceses da Polônia, um dos países com o maior número de católicos praticantes na Europa, encontraram um meio de manter os ritos da Páscoa, apesar das recomendações do governo para os poloneses evitarem encontros de família e sair às ruas por causa da epidemia do coronavírus.

Os padres estão recebendo a confissão dos fiéis por um sistema de “drive-thru” instalado nos estacionamentos das igrejas.

Para os católicos fervorosos da Polônia, as festividades da Páscoa são mais importantes que o Natal. O período em que se celebra a crucificação e a ressurreição de Jesus Cristo é também o momento em que eles costumam se confessar.

Neste ano, como as igrejas estão fechadas entre os horários das missas, os padres instalaram confessionários a céu aberto, sentados em cadeiras ou bancos nos estacionamentos das paróquias. O motorista chega com o carro e relata seus pecados por trás da janela do veículo, respeitando as regras de segurança sanitária.

O padre Bartosz Kuczmarski, sorridente, estava entusiasmado com a afluência dos praticantes. Em apenas quatro horas, ele ouviu 50 fiéis aliviados de cumprir o rito. “Temos um estacionamento enorme na frente de igreja; melhor utilizá-lo dessa maneira”, destacou. Para o padre Kuczmarski, a fórmula é um sucesso porque a confissão pela internet ou por telefone continua proibida.

O religioso não vê diferença entre esse modo de sacramento despojado e uma confissão tradicional, geralmente feita numa cabine instalada à distância dos olhares curiosos, num canto discreto da igreja. “As pessoas vêm para se liberar de seus pecados e receber o reconforto de Deus. Ao mesmo tempo, compreendo que muita gente possa se sentir constrangida de falar dessa maneira, face a face com o padre”, ressalta.

Nos confessionários antigos, padre e penitente ficam em compartimentos separados e falam um com o outro através de uma grade ou tela de orifícios discretos. As conversas são normalmente sussurradas e, muitas vezes, o padre fica de lado para o fiel permanecer anônimo e mais à vontade. Porém, desde o Concílio Vaticano II, as regras mudaram para facilitar este sacramento, e a confissão face a face foi autorizada.

Fonte: RFI