A Igreja Católica colombiana entrou na campanha pela libertação dos reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Em missa celebrada hoje em ação de graças pela libertação dos reféns na última quarta-feira, o cardeal Pero Rubiano pediu diálogo humanitário com a guerrilha.

Jornalistas colombianos presentes à catedral informaram que há muitos meses a Igreja não se manifestava a favor da comunicação com as Farc.

Rubiano também exigiu que os seqüestrados sejam libertados com vida. “Vivos os levaram, vivos têm que devolvê-los”, afirmou o celebrante. A missa também foi em intenção dos que ainda permanecem presos.

O comandante do Exército, general Mario Montoya, subiu ao altar e agradeceu as orações e “tudo o que a Igreja faz pelas forças militares e pelo povo”. Segundo ele, o resgate só foi possível “graças ao Senhor”.

– Sem proteção divina, a operação não teria esse resultado.

Ao final da missa, o general negou que o emblema que aparece no vídeo divulgado na última sexta-feira pelo governo boliviano seja da Cruz Vermelha. “É parecido”, disse ele.

Nos últimos dias, o governo tem negado a participação de outros países ou de organismos internacionais na operação, reiterando que a iniciativa foi totalmente colombiana.

Fonte: JB Online