Aram I, patriarca apostólico de Cilícia dos Armênios, com sede no Líbano, declarou que o papa e todo o Vaticano desde sempre dão “um forte e contínuo suporte não só às comunidades cristãs no Líbano e no Oriente Médio, mas a todo o país e a toda a região”.

As declarações do líder religioso foram dadas na conclusão de sua visita de três dias ao Vaticano, ocasião em que ressaltou a boa colaboração com a Igreja Católica no campo do diálogo ecumênico.

“Sobre o Oriente Médio, temos uma clara política: queremos que os cristãos continuem na região e não só no Líbano, porque não são estrangeiros, mas são parte da história e da cultura do Oriente Médio”, reforçou Aram I.

Para o líder, a permanência do cristianismo na região dependerá da “responsabilidade dos líderes religiosos”.

Sobre o plano de colaboração entre as igrejas, Aram I declarou que durante seus encontros destes dias com Bento XVI expressou o desejo de que seja celebrada a Páscoa no mesmo dia pelas duas denominações cristãs, e que seja fixado um dia comum para comemorar os mártires cristãos de todas as igrejas.

Fonte: Estadão