Evento acontece no Rio de Janeiro e em Aparecida de 23 a 28 de julho. Presidente da CNBB diz que agenda de Francisco não sofrerá alterações.

A um mês da Jornada Mundial da Juventude e após mais de uma semana de manifestações por todo o país contra o aumento das passagens de ônibus, a organização do evento se pronunciou nesta sexta-feira (21) e garantiu que os preparativos continuam para a visita do Papa Francisco ao Rio de Janeiro e a Aparecida, em São Paulo. A JMJ acontece de 23 a 28 de julho.

O texto ressalta que “o desejo de construir uma civilização melhor, levado às ruas pelos jovens faz parte do espírito da Jornada e que o Rio de Janeiro é historicamente uma cidade engajada nas lutas por melhorias para seu povo”. A organização falou ainda sobre os esforços que estão sendo feitos na área de segurança para o evento.

[b]Agenda do Papa
[/b]
Após reunião com a presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira (21), o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno Assis, disse não estar preocupado que as manifestações atrapalhem a realização da Jornada Mundial da Juventude. A programação da jornada, afirmou, está mantida.

O cardeal afirmou que “uma ou outra manifestação que possa ocorrer” será “normal”. “Isso tem ocorrido em outros países nessa mesma ocasião”, disse.

Ainda na noite de sexta, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse que a Jornada poderá ocorrer “num clima em que esteja ocorrendo manifestações”.

“Nós temos que ter clareza de que ela [jornada] pode ocorrer dentro de um clima – não vou dizer igual ao dos dias de hoje, porque a conjuntura evolui tão rapidamente que você não tem muito como profetizar, dizer se vai acontecer isso ou se vai acontecer aquilo, seria temerário – mas nós temos que estar preparados para jornada acontecer inclusive num clima em que esteja ocorrendo manifestações no país”, declarou.

[b]Fonte: G1[/b]