Vista do palco durante a sessão especial da Igreja Metodista Unida dos EUA, em St. Louis, Missouri
Vista do palco durante a sessão especial da Igreja Metodista Unida dos EUA, em St. Louis, Missouri

A Igreja Metodista Unida nos EUA manterá a sua posição oficial de que a homossexualidade é contrária ao ensino cristão, numa decisão que se seguiu a dias de debate contencioso sobre a questão. 

Nos últimos anos, o UMC (sigla em inglês) se envolveu em um debate emocional sobre a possibilidade de mudar sua posição, conforme descrito em seu Livro de Disciplina, classificando a homossexualidade como “incompatível com o ensino cristão”.

Os delegados da sessão especial da Conferência Geral da UMC, representando toda a denominação global, votaram nesta terça-feira para rejeitar uma medida chamada “Plano da Igreja Única”, que teria permitido aos órgãos regionais da denominação determinar sua posição sobre a homossexualidade.

Em vez disso, os delegados aprovaram o “Plano Tradicional” em uma votação de 438-384. O Plano mantém a posição da denominação contra a homossexualidade, o casamento gay e a ordenação de homossexuais não-celibatários, enquanto promete melhor aplicar essas regras. 

Mark Tooley, presidente do teologicamente conservador Instituto sobre Religião e Democracia, em Washington, DC, comemorou o resultado da votação contra o “Plano da Igreja Única” no Twitter.

“Africanos, filipinos, delegados do Euro são cruciais. Eles salvaram a crescente igreja global do sofrimento de implodir os protestantes dos EUA. Obrigado! ” twittou Tooley.

Adam Hamilton, pastor líder da Igreja da Ressurreição em Leawood, Kansas, que é a maior congregação Metodista Unida nos Estados Unidos, falou contra o Plano Tradicional, chamando-o de “regressivo” e alienante para “centristas e progressistas”.

Muitos delegados apresentaram suas opiniões no plenário sobre qual plano preferiam. Ble Leon Nathan Ake, da Costa do Marfim, defendeu o Plano Tradicional.

“A Bíblia nos diz que precisamos permanecer fiéis à Palavra”, disse ele por meio de um intérprete. “É o plano de Deus, é a vontade de Deus, é o caminho bíblico”.

Fonte: The Christian Post