A hierarquia católica do México negou que o porta-voz de um cardeal esteja vinculado com as ameaças de morte contra uma organização não-governamental (ONG) favorável à legalização do aborto.

A diretora da ONG Católicas pelo Direito de Decidir, Consuelo Mejía, acusou Hugo Valdemar, porta-voz do cardeal Norberto Rivera, de ameaçá-la de morte.

A hierarquia católica “se desliga completamente de qualquer ataque ou ação empreendida contra alguma dessas mulheres ativistas ou de outra pessoa”, disse o representante legal do Arcebispado do México, Armando Martínez.

Martínez negou que, como Mejía assegura, o porta-voz do arcebispo primado tenha iniciado “uma campanha de ódio contra as ativistas” de sua organização.

Muitas integrantes dessa ONG afirmaram ter recebido ligações com a finalidade de intimidá-las.

“Nem as campanhas de ódio, nem as ameaças, muito menos de morte, são ações que correspondam à conduta de um sacerdote, como à forma de agir do padre Hugo Valdemar nem de nenhum outro hierarca católico”, afirmou Martínez.

A Assembléia Legislativa da capital, onde a esquerda tem maioria, se dispõe a apresentar um projeto que legalize o aborto, o que dividiu a opinião pública e colocou a igreja católica em pé de guerra contra a iniciativa. (ANSA)

Fonte: Ansa