Martelo e balança, símbolos da justiça
Martelo e balança, símbolos da justiça

O juiz Daniel Luiz Maia Santos, da comarca de São Carlos, determinou que a Igreja Universal tem de indenizar em R$ 10 mil a (ex) fiel Adrielli Fernanda da Silva, por constrangimento e danos morais.

Segundo o colunista Ricardo Feltrin, ela foi constrangida ao mexer no celular durante um culto. Ela afirma que foi apenas checar as horas.

Um obreiro a acusou de estar gravando a celebração e outra chegou a puxar a mão dela com o celular. Outros obreiros ficaram de prontidão “vigiando” a mulher para que nada fosse gravado. Acuada, a fiel ficou em prantos.

Em sua sentença, o juiz Daniel Santos concordou que é lícito às igrejas vetarem o uso de celulares durante o culto, mas considerou que a demandante comprovou com testemunhas que houve duplo constrangimento na atitude dos obreiros da Universal: quando “cercaram” a fiel, impedindo-a de comungar sua fé, e quando novamente um deles (Beatriz) a abordou agressivamente ao final do culto..

O juiz também se incomodou pelo fato de ter solicitado as gravações das câmeras dentro da igreja no dia e horário em que a fiel relata o ocorrido, e que a igreja não as entregou alegando não ter arquivos ou backup das imagens.

Se incomodou mais ainda também porque convocou a obreira “Beatriz” para que se manifestasse no tribunal e ela não apareceu. ” Autora (da ação) foi ferida em sua dignidade”, sentenciou o juiz.

A igreja afirmou que vai recorrer da decisão e a mulher disse que deixará de frequentar os cultos.

Folha Gospel com informações de Último Segundo