Ação de desinfecção na moderna Basílica de Dom Bosco, em Roma, na Itália Imagem: Pacific Press / LightRocket via Getty Images
Ação de desinfecção na moderna Basílica de Dom Bosco, em Roma, na Itália Imagem: Pacific Press / LightRocket via Getty Images

O Exército da Itália e a empresa pública de limpeza de Roma iniciaram hoje a desinfecção das 337 igrejas da diocese da capital italiana, em antecipação à retomada das missas na próxima segunda-feira, após o encerramento das restrições de circulação por conta da pandemia da covid-19.

A primeira ação aconteceu na moderna Basílica de Dom Bosco, nos arredores do sul da cidade, onde uma equipe de soldados, coberta com roupas de proteção, esteve no início da manhã limpando o exterior da igreja.

No interior, quatro funcionários do município desinfetaram bancos, confessionários e itens como o púlpito ou o altar principal, trabalho que foi posteriormente visitado pela prefeita da capital, Virginia Raggi.

A limpeza será feita pelos bairros, a fim de “garantir maior segurança a muitos fiéis que voltarão a frequentar as igrejas da cidade”, disse Raggi em nota.

Para desinfetar, foi utilizado um “produto à base de enzimas naturais”, conforme relatado pelo conselho da cidade.

O governo decretou algumas regras de segurança para a retomada de missas nesta fase de relaxamento da quarentena.

Deve haver pelo menos um metro, tanto frontal quanto lateral, de separação entre os fiéis. Haverá voluntários que garantirão que a distância e o número máximo de fiéis autorizados a entrar sejam respeitados.

Na entrada, também será necessário colocar um dispensador de gel desinfetante e a igreja, a todos os objetos utilizados, como microfones ou púlpitos, deverão ser desinfetados após cada cerimônia, entre outras recomendações.

Fonte: EFE