Igreja vazia na Argélia
Igreja vazia na Argélia

Um grupo de igrejas na Argélia estabeleceu o dia de ontem, 18 de outubro, como o Dia Internacional de Oração pelos cristãos do país. A data relembra o primeiro aniversário do fechamento das duas maiores comunidades cristãs do país em Tizi-Ouzou e Makouda, em 2019. Na ocasião, muitos cristãos foram retirados à força dos prédios e presos.

Em agosto de 2020, um pedido para reabrir as igrejas foi rejeitado pelo tribunal administrativo em Tizi-Ouzou. A decisão foi baseada na lei de 2006, que prevê a necessidade de uma permissão para que templos não-muçulmanos funcionem.

A comissão responsável por gerenciar esses pedidos não está operando e não concedeu a permissão a nenhuma igreja solicitante até agora. Sendo assim, as igrejas começaram a alugar prédios e informar às autoridades locais sobre os propósitos deles.

No ano passado, o governo instruiu os funcionários que reprimissem severamente as igrejas “rebeldes” do país. Até agora, 13 igrejas permanecem fechadas.

A Portas Abertas noticiou o fechamento dos prédios, pediu aos governantes que reabrissem as igrejas fechadas e que retirassem as acusações contra elas. Além disso, solicitou também que a comissão responsável por emitir a autorização de funcionamento retome as operações e administre os pedidos pendentes de forma eficiente e justa.

Fonte: Portas Abertas