Bíblia aberta em púlpito de uma igreja vazia (Foto: Getty Immages)
Bíblia aberta em púlpito de uma igreja vazia (Foto: Getty Immages)

Representantes de oito igrejas e ministérios evangélicos de Palmas, capital de Tocantins, ingressaram na justiça com um Mandado de Segurança contra a prefeita Cinthia Ribeiro (PSDB) devido à proibição de realização de atividades religiosas de qualquer natureza com a presença de público.

O processo foi protocolado na quarta-feira (22) na Vara da Fazenda Pública da capital com pedido de urgência.

Os pastores argumentam que as atividades religiosas estão no rol de serviços essenciais, com base no Decreto Federal nº 10.282/2020, por serem “imprescindíveis para auxiliar a saúde mental e espiritual da população”.

Igrejas e representantes que assinam a ação

Ministério Apostólico Koinonia – Gláucio Luciano Coraiola

Ministério Grão de Mostarda de Palmas – Camilo José De Paiva

Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Missão – Ieadmm – Claudemir Lopes

Igreja Evangélica Assembleia de Deus Shallom – Hermes Vieira Netto

Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Monte Sinai Campo – Ivan Carlos Augusto Da Fonseca

Assembleia de Deus Esperança – Sebastião Tertuliano Filho

Igreja Apostólica Nova Aliança em Palmas – Ronaldo Souto Dos Santos

Igreja Evangélica Livres em Cristo – Ronaldo Kubjan

Fonte: AF Notícias