Sergio Moro pede demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública
Sergio Moro pede demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, anunciou seu pedido de demissão do governo Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (24), admitindo publicamente as divergências com o presidente em torno da troca de comando na cúpula da Polícia Federal.

A demissão ocorre após Bolsonaro exonerar Maurício Valeixo, diretor-geral da PF que havia sido indicado por Moro.

Após a coletiva de Sergio Moro, onde anunciou sua saída do governo Bolsonaro, alguns líderes e pastores evangélicos se manifestaram.

O pastor Silas Malafaia, disse ser aliado de Bolsonaro, mas que a demissão de Moro foi “o maior absurdo e falta de habilidade política”.

Malafaia ainda disse que continua apoiando o presidente, mas descorda “100% da saída do Moro”, e ainda disse que foi “ERRO POLÍTICO TOTAL”

O ex-senador Magno Malta, disse em seu twitter que tem se pronunciado “em defesa do governo e do presidente”, mas que não queria a saída de Sergio Moro.

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ), aliado de Bolsonaro e integrante da bancada evangélica, relatou estar em choque com a demissão de Moro e cobrou explicações do presidente da República.

“Ele (Moro) fez referências que, se comprovadas, deixam o governo em uma situação que vai ter que se explicar. Vamos ter uma opinião depois que o presidente Bolsonaro der a entrevista, mas o choque existe, sim. A perna do discurso que fizemos na campanha é combate à corrupção.”

O deputado Sóstenes Cavalcanti, integrante de banca evangélica, disse que hoje era um dia triste e que o Brasil perde com a saída de Sergio Moro.

O pastor Ariovaldo Ramos fez um questionamento aos pastores e pastoras que apoiam o presidente Jair Bolsonaro.

O pastor Alexandre Gonçalves também se dirigiu aos pastores que apoiam Bolsonaro, afirmando que eles “messianizaram e levaram milhares de evangélicos a apoiar, idolatrar e votar em um criminoso que interferiu na PF para esconder os crimes de seus filhos”.

“O Senhor, Vingador do órfão e da viúva não está de braços cruzados ante essa infâmia! Arrependam-se!”, concluiu o pastor Alexandre.

O pastor Alexandre ainda disse que Sergio Moro interferiu na Polícia Rodoviária Federal e que sua saída é “puro oportunismo ao ver que o governo está derretendo”.

Folha Gospel com informações de Terra e Twitter