Moradores de rua abrigados em uma igreja
Moradores de rua abrigados em uma igreja

Igrejas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste têm aberto suas portas para acolher pessoas em situação de rua diante da onda de frio que atinge o país nesta semana, derrubando as temperaturas e provocando inclusive neve em alguns pontos.

Em Goiás, a campanha “Quem tem frio tem pressa!”, do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, está oferecendo espaço para passar a noite e mobiliza os moradores da cidade a doarem cobertores, alimentos e itens de higiene.

Os organizadores contam que prepararam um ambiente com colchões e agasalhos onde serão distribuídos sopa e café da manhã.

“O arcebispo de Goiânia, Dom Washington Cruz, está preocupado com a população de rua de nossa capital e considera muito importante a disponibilização de alguns dos nossos salões paroquiais para acolher essas pessoas”, disse Frei José Fernandes, da Comissão Dominicana de Justiça e Paz.

O abrigo foi montado em três paróquias: São Judas Tadeu (Rua 242 nº 100, Setor Coimbra), Ateneu Dom Bosco (Alameda dos Buritis nº 485, Setor Oeste) e Sagrado Coração de Jesus (Praça Boaventura, Vila Nova).

No estado de São Paulo, foi reservado um espaço destinado aos moradores em situação de rua no Salão Paroquial da Igreja Matriz, no município de São Sebastião, preparado com colchões e cobertores. O acolhimento é promovido em conjunto com a Prefeitura, responsável for fornecer as três refeições principais ao longo do dia.

Uma ação semelhante é realizada por uma igreja evangélica em São José dos Campos. O posto está previsto para funcionar até a noite de domingo no Campus Betânia da Igreja da Cidade. Uma postagem em sua página do Facebook informa que haverá momento de oração e oferecimento de alimento, kits de higiene, meias e roupas íntimas novas. Doações também estão sendo recebidas durante este período.

Na capital paulista, um abrigo foi criado pelo padre Julio Lancellotti, da Paróquia de São Miguel Arcanjo, dentro da própria igreja, que foi equipada com caminhas para dispor um local aquecido a quem não tem onde ficar durante a fria madrugada.

Em Santa Catarina, onde as baixas temperaturas representam ainda mais perigo para os moradores de rua, são estimuladas doações de agasalhos e cobertores pela Associação Diocesana de Promoção Social (Adipros) de Joinville. A campanha emergencial da entidade católica ocorre em paralelo ao ponto de acolhimento montado no Ginásio Abel Schulz pela Prefeitura, com apoio da Comunidade Eis-me aqui. Com capacidade para 100 pessoas, o abrigo está em funcionamento desde terça-feira e deve ficar aberto até domingo.

“Com previsão de uma onda de frio bastante intensa, optamos por ativar o Abrigo Emergencial no Centro da cidade, em um local de fácil acesso e com amplo espaço para comportar quem necessita”, explica Fabiana Cardozo, secretária de Assistência Social de Joinville.

Fonte: RicardoAntunes.com.br