A Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus) foi condenada a pagar indenização de R$ 25 mil por danos morais a um operador de som

O pastor de uma igreja de Belo Horizonte agrediu o homem com um microfone em sua cara.

A Universal recorreu ao TST (Tribunal Superior do Trabalho), mas a decisão foi mantida.

O religioso teria reclamado que o microfone estaria sujo e descascando.

Quando o funcionário explicou que era por excesso de lavagem, o pastor pediu para ele cheirar o aparelho. E empurrou o equipamento em seu nariz.

Após a agressão, outros pastores passaram a fazer piada dizendo: “Cheira aqui”.

No processo, o trabalhador conta que, em rituais de exorcismo, um bispo apontava para ele e dizia: “Queima esse demônio aí em cima. Mande ele embora, pois ele é o demônio que está estragando a nossa reunião”.

A Iurd afirma “que inexistiu a configuração do dano […] e que não houve prova de qualquer dano psíquico- emocional do autor”.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]