O jogador Kaká, que vai ser papai – sua mulher Caroline Celico está grávida de dois meses e meio- e que acaba de ganhar o troféu Bola de Ouro pela France Football como o melhor jogador do ano da Europa, deu uma entrevista à revista Gloss deste mês.

À publicação, o atleta, que é seguidor da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, cujos fundadores Estevam e Sonia Hernandes foram presos no início de janeiro deste ano em Miami ao entrarem nos Estados Unidos com dinheiro não declarado, – U$ 56 mil-, defende o casal:

“Sou radical em relação ao que acredito. Apesar de tudo, continuo membro da Renascer. Conheço os bispos (Estevam e Sonia) e, para mim, eles sempre foram boas pessoas”, acredita Kaká.

Há um ano, Estevam e Sonia tiveram sua prisão decretada pela Justiça no Brasil. No processo, o casal e mais três sócios foram denunciados por transformar a Renascer e as dez empresas do grupo numa organização criminosa. Eles são acusados de desvio e lavagem do dinheiro arrecadado nos cultos e de praticar uma série de golpes contra os fiéis.

Amor pela Bíblia e sexo só após casar

Polêmicas à parte, o meio-campo do Milan falou também sobre o amor que tem pela Bíblia:

“Tenho várias Bíblias em diversas línguas: japonês, inglês, chinês, francês… Elas ficam espalhadas pela casa, dentro do carro, no centro de treinamento do Milan…”

Ter casado virgem com Caroline, foi uma opção dele, assegura Kaká. O brasileiro garante que ninguém o obrigou a não ter relação sexual antes do casamento. “Minha escolha foi pessoal. Questão de princípios, Queria me reservar. O sexo é tão sublime que deve ser guardado para um momento e uma mulher especiais”.

Fonte: EGO