Placa do Christian Aid Ministries no Haiti
Placa do Christian Aid Ministries no Haiti

O Christian Aid Ministries, com sede em Ohio, agradeceu a Deus nesta quinta-feira, ao anunciar que os 12 missionários restantes que estavam entre os 17 sequestrados pela famosa gangue 400 Mawozo no Haiti foram todos libertados.

“Nós glorificamos a Deus por nossas orações respondidas – os 12 reféns restantes são LIVRES! Junte-se a nós para louvar a Deus porque todos os 17 de nossos entes queridos estão seguros. Obrigado por suas orações fervorosas nos últimos dois meses. Esperamos fornecer mais informações conforme for possível”, disse o ministério de ajuda internacional em uma declaração que também citou uma parte de Êxodo 15:1. “Cantarei ao Senhor, porque gloriosamente triunfou”.

A libertação dos 12 missionários restantes ocorre apenas 11 dias após a libertação de outros três em 5 de dezembro . Duas semanas antes disso, a gangue libertou dois missionários descritos como adultos doentes .

Uma fonte com conhecimento das duas primeiras liberações disse ao The Miami Herald que nenhum resgate foi pago, embora o líder da gangue de 400 Mawozo, Wilson Joseph, tenha ameaçado matar todos os missionários se sua gangue não recebesse US$ 1 milhão por cada um dos sequestrados.

Não estava claro na quinta-feira se algum resgate foi pago para libertar algum dos missionários.

Quando ocorreu o sequestro, o grupo sequestrado incluía seis homens, seis mulheres e cinco crianças, dos quais 16 são americanos e um é canadense. Eles variavam em idade no momento do sequestro, de 8 meses a 48 anos.

Enquanto as negociações para sua libertação estavam em andamento entre a gangue e funcionários dos governos do Haiti e dos Estados Unidos, um vídeo de Joseph circulou nas redes sociais mostrando que o chefão do crime não estava satisfeito com o ritmo das negociações.

“Juro por um trovão que, se não conseguir o que estou pedindo, vou colocar uma bala na cabeça desses americanos”, Joseph ameaçou no final de outubro, de acordo com uma tradução citada pela Bloomberg Quicktake.

O Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Jake Sullivan, disse em uma coletiva de imprensa no final do mês passado que o presidente Joe Biden estava empenhado em garantir que cada um dos missionários voltasse para casa em segurança, especialmente as crianças.

“Eu pessoalmente atualizo essa questão todos os dias para o presidente, que está profundamente interessado em garantir que cada uma dessas pessoas chegue em casa com segurança”, disse Sullivan.

Folha Gospel com informações de The Christian Post


Comentários