A Polícia Civil de Ouro Preto, a 100 km de Belo Horizonte, prendeu, na manhã deste sábado, na cidade de Mariana, uma suposta mãe-de-santo que teria pedido o sacrifício de crianças para “ajudar” uma cliente dela que queria engravidar.

Os agentes chegaram até ela depois da prisão, na última quinta-feira, da dona de casa Solange de Fátima Silva, 25 anos.

No momento em que os policiais invadiram a casa dela, Solange e o marido, Evandro Alfenas Bosco, manteriam em cárcere privado, sob a ameaça de um facão, duas irmãs de 10 e 11 anos de idade. Elas teriam sido abordadas pelo casal na praça Tiradentes, no centro de Ouro Preto.

Bosco se apresentou à polícia no 49° DP do bairro São Mateus, em São Paulo. Ele tem parentes na capital paulista.

O delegado Flávio Tadeu Destro, que investiga o caso, disse que Bosco teria se passado por um delegado de polícia para conseguir levar as meninas até a casa dele. Destro acredita que as garotas seriam sacrificadas no ritual de magia negra.

O cunhado de Solange foi quem denunciou o casal. Ele teria chegado em casa e visto ela o irmão ameçando as vítimas. Bosco conseguiu escapar e ainda está foragido.

Em depoimento, Solange teria dito que tem dificuldade para engravidar. Ela então teria procurado uma mãe-de-santo, que teria pedido o sacrifício das garotas como solução para a infertilidade.

A Polícia Civil confirmou a suposta ligação do casal com a morte de uma adolescente de 13 anos encontrada carbonizada no mês de outubro, também em Ouro Preto. O corpo de Elizângela do Carmo foi localizado em um barraco inacabado no dia 20 de outubro.

Solange confessou o crime à polícia e dito que ela e o marido cometeram o assassinato para que a mulher engravidasse. Ela disse que estrangulou a vítima e o marido ateou fogo.

O casal e a mãe-de-santo deverão ser indiciados pela polícia por cárcere privado e homicídio qualificado. Se condenados, eles podem pegar até 30 anos de prisão. Depois de ouvidas, as garotas foram entregues à mãe.

Fonte: Terra