Conselheiros de Donald Trump orando por ele
Conselheiros de Donald Trump orando por ele

A LifeWay Research publicou uma pesquisa onde revela que cerca de 51% dos pastores protestantes americanos aprovam de alguma forma o trabalho que o magnata imobiliário está fazendo na Casa Branca, enquanto apenas 29% desaprovam o trabalho que Trump tem feito, e 20 por cento não tem certeza.

“Em comparação com o primeiro mandato do presidente Obama, vemos duas vezes mais pastores afirmarem que estão indecisos sobre o desempenho do trabalho do presidente Trump”, disse McConnell, diretor-executivo da LifeWay Research, em comunicado.

Examinando mais de 1.000 pastores por telefone entre 29 de agosto e 11 de setembro, a LifeWay descobriu que 86% dos pastores pentecostais aprovavam o desempenho profissional de Trump, marcando o mais alto índice de aprovação pastoral de qualquer denominação listada na pesquisa.

Os dados aparecem quando vários pensadores e líderes pentecostais compararam Trump ao rei Cyrus e outras figuras bíblicas.

Em relação aos pastores batistas (especialmente os filiados com a Convenção Batista do Sul), também conhecidos por serem fortemente conservadores e apoiarem Trump, 68 por cento disseram que aprovavam o trabalho que Trump está fazendo. No entanto, esse número pode incluir pastores batistas politicamente liberais.

Quarenta e um por cento dos pastores luteranos e 55 por cento dos pastores da Igreja de Cristo disseram que aprovaram o desempenho do trabalho do presidente, enquanto apenas 28 por cento dos pastores Presbiterianos / Reformados e 25 por cento dos pastores metodistas disseram o mesmo.

Quando analisados ​​de uma perspectiva evangélica, 63% dos pastores disseram que aprovaram o trabalho que Trump está fazendo.

Outra pesquisa da LifeWay descobriu, antes da eleição de 2016, que apenas 32% dos pastores protestantes disseram ter certeza de que votariam em Trump. Quatro em cada dez pastores estavam indecisos e cerca de 19% dos pastores entrevistados disseram que votariam em Clinton. Essa pesquisa sugeriu que 52% dos pastores protestantes eram republicanos.

A mesma pesquisa descobriu que 61% dos pastores pentecostais planejavam votar em Trump, enquanto 46% dos pastores batistas planejavam votar em Trump.

“Com a maioria dos pastores protestantes se identificando como republicanos, não é de surpreender que a maioria aprove o presidente Trump em seu primeiro mandato”, acrescentou McConnell. “Claramente, as visões políticas dos pastores influenciam a forma como avaliam a liderança e as realizações do presidente na primeira metade de seu mandato.”

Ao dividir os resultados em demografia racial, pastores afro-americanos (4 por cento) foram menos propensos a aprovar o desempenho de Trump e foram mais propensos a refutar (85 por cento).

“Em 2016, apenas 6% dos pastores afro-americanos identificados como republicanos nos primeiros dois anos do presidente Trump, geraram a aprovação de pastores afro-americanos além desse nível”, opinou McConnell.

Apenas 30% das pastoras aprovaram o desempenho profissional de Trump, enquanto 56% dos pastores masculinos aprovaram.

Além disso, 71% dos pastores sem diploma universitário e 67% dos pastores com apenas um diploma de bacharel aprovaram o desempenho no trabalho de Trump. Em comparação, apenas 41% dos pastores com mestrado e 52% dos pastores com doutorado aprovaram o trabalho que o presidente está realizando.

A pesquisa tem uma margem de erro de 3,2 pontos percentuais, que pode ser maior quando se trata de subgrupos.

Fonte: The Christian Post