Em menos de um ano aconteceram mais de 190 ataques violentos contra cristãos na Índia. Nesses ataques estão incluídos homicídios, assaltos armados, linchamentos e abusos sexuais. A União Católica para Toda a Índia (AICU, sigla em inglês), divulgou um documento de alerta no dia 17 de novembro.

O presidente da AICU, John Dayal, reforçou que dados foram coletados com vários grupos cristãos por toda a parte no país, e ainda nesses casos não foram contabilizados os ataques por outras razões que não a fé.

Portanto, diz Dayal, “os casos que foram apresentados e certificados caem na categoria de perseguição”. “Nós não levamos em consideração a situação da marginalização social de nossos muitos irmãos na fé em vários Estados indianos, porque seria impossível contá-los”.

Sajan K. George, presidente nacional do Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC, sigla em inglês), com sede em Bangalore, disse ao “AsiaNews”: “GCIC registrou 464 casos de atrocidades contra cristãos por toda a Índia por mais de 20 meses e Karnataka tem o pior índice nesse período com 87 casos, seguido por Madhya Pradesh com 30 casos”.

Sob a luz destes detalhes, ele acrescenta que “enviou um memorando ao Conselho Nacional de Direitos Humanos e também à Comissão Estadual dos Direitos Humanos (SHRC, sigla em inglês), pedindo a abertura de inquéritos independentes nos incidentes.

Depois que o partido nacionalista hindu Bharatiya Janata (BJP) se integrou à coalizão – e agora eles estão no poder – tem existido um clima de impunidade por qualquer ato de violência cometida contra não hindus.

“Muitos desses ataques ocorreram dentro de lares e igrejas cristãs, enquanto as pessoas adoravam reservadamente”, conclui Sajan.

Ele diz ainda que “geralmente a administração e a polícia se recusam tanto a tratar o caso quanto a tratar o problema com seriedade. Infelizmente no nosso 60º aniversário da independência da Índia, o governo ainda tem feito muito pouco para colocar esses crimes sob controle”.

Fonte: Portas Abertas