Cristãos na Nigéria
Cristãos na Nigéria

Bandidos armados no estado de Kaduna, na Nigéria, sequestraram mais de 60 fiéis durante um culto religioso e mataram um cristão a tiros, segundo relatos, que também afirmam que trabalhadores cristãos na área se esconderam.

Os homens armados invadiram a Igreja Batista Emmanuel na área de Kakau Daji, no sul de Kaduna, no domingo passado, informou o ministério cristão Portas Abertas, acrescentando que as redes de telecomunicações estavam desligadas no momento para ajudar a combater a atividade dos bandidos.

“A igreja não conseguiu pedir ajuda, embora os bandidos tenham pedido um resgate mais alto porque tiveram que viajar para mais longe para o serviço de rede entrar em contato com os parentes das vítimas”, disse o ministério.

O governo alegou que havia reforçado a segurança naquela localidade, mas o reverendo Joseph Haya, presidente da Associação Cristã da Nigéria e um Batista, disse que discordava e que a ameaça de mais ataques permanece. “Estamos seriamente preocupados agora. Homens armados estão se aproximando gradualmente do município”, disse ele.

Haya disse ao Epoch Times que a igreja Batista “é a igreja mais atingida neste estado”.

O Catholic Herald relatou que o número de sequestrados pode ser superior a 100 e que dois fiéis foram gravemente feridos.

“Este sequestro é um exemplo chocante da audácia dos chamados bandidos e da impunidade que está aumentando, aparentemente sem limites na Nigéria”, disse Jo Newhouse, porta-voz do Portas Abertas na África Subsaariana. “O governo está falhando grosseiramente com seus cidadãos neste assunto e a contínua ilegalidade está criando um terreno fértil para o extremismo”.

Em julho, mais de 140 alunos foram sequestrados enquanto deviam fazer seus exames finais na Escola de Ensino Médio Bethel Baptist na área do governo local de Chikun, no mesmo estado.

Os sequestradores prometeram aos pais que seus filhos não morreriam de fome se recebessem arroz, feijão, óleo de palma, sal e cubos de caldo. Eles disseram que haveria um pedido de resgate, informou a Reuters na época.

Grupos terroristas com presença na região, como o Boko Haram, realizaram sequestros em massa nos últimos anos, incluindo o sequestro de mais de 200 meninas de uma escola em Chibok em 2014.

Dede Laugesen, o diretor executivo do Save the Persecuted Christians, disse ao The Christian Post em uma entrevista anterior que os terroristas frequentemente sequestram meninos e fazem lavagem cerebral neles para se tornarem jihadistas.

Muitos nigerianos manifestaram preocupação sobre o que consideram a inação do governo em responsabilizar terroristas pelo número crescente de ataques e sequestros.

Em uma entrevista anterior, Emeka Umeagbalai da Sociedade Internacional para as Liberdades Civis e o Estado de Direito, disse que os sequestros de cristãos acontecem por várias razões.

Alguns terroristas, como Boko Haram, o Estado Islâmico da Província da África Ocidental e militantes radicais Fulani são motivados por dinheiro, enquanto outros são motivados pelo radicalismo islâmico.

Analistas de segurança dizem que sequestro para obter resgate está se tornando uma indústria lucrativa na Nigéria. E as armas estão se tornando prontamente disponíveis para militantes na Nigéria graças à Líbia devastada pela guerra.

O grupo de vigilância da perseguição cristã, Portas Abertas EUA, classificou a Nigéria em 9º lugar na Lista Mundial da Perseguição de 2021 de países onde os cristãos enfrentam a perseguição mais severa. A Nigéria também é reconhecida como um “país de preocupação especial” pelo Departamento de Estado dos EUA por tolerar ou se envolver em violações graves da liberdade religiosa.

Folha Gospel com informações de The Christian Post