Bandeira da Colômbia
Bandeira da Colômbia

No dia 15 de fevereiro, o pastor Tomas Francisco Estrada* foi morto em estranhas circunstâncias nas redondezas da cidade litorânea de Buenaventura, na Colômbia.

Com cerca de 11 anos de serviço ministerial, o pastor Estrada era reconhecido por toda a comunidade como um líder dedicado ao serviço de sua congregação e como um ativo líder social, que encabeçava o processo em favor de justiça e restauração dos direitos da comunidade.

O pastor deixa esposa e dois filhos pequenos. Sua esposa, Luisa Montes*, teve um choque nervoso ao saber da morte do marido e sua saúde está em estado crítico.

O pastor também deixa uma congregação de cerca de 80 pessoas.

A Colômbia passa por uma escalada no número de mortes, ameaças e ataques a cristãos.

Segundo relatórios da ONG Indepaz, somente este ano já foram registradas 19 mortes de líderes sociais em diferentes partes do país. De 2016 a 2019, foram 556 assassinatos de cristãos.

Atualmente no país, muitos pastores e líderes cristãos atuam como líderes sociais como um meio de defender, acompanhar e assistir vítimas cristãs no caminho pela restauração de seus direitos.

Com a morte do pastor Estrada, já são dois pastores mortos este mês de fevereiro, na Colômbia.

Na noite do dia 9 de fevereiro, o pastor Leider Molina, de 24 anos, foi atingido por cinco tiros que o levaram à morte. Ele saía da igreja, após pregar, no município de Caucasia, uma região rural no estado de Antioquia, na Colômbia.

Os cristãos colombianos e missionários pedem orações para que os líderes cristãos continuem tendo coragem para pregar o evangelho e continuar ajudando os cristãos perseguidos a lutar por seus direitos na Colômbia.

*Nomes alterados por segurança.

Fonte: Portas Abertas