O deputado e pastor Marco Feliciano (PSC) mudou o número de seu celular, por causa de insultos, informou o colunista Lauro Jardim da Veja

O atual presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM), teve seu antigo número divulgado na internet por grupo de hackers ativistas denominado Anonymous.

O grupo divulgou no Twitter dados pessoais do pastor, que começou a receber milhares de ligações.

Segundo Lauro Jardins, que prometeu não divulgar o novo número do deputado evangélico, boa parte das ligações continham insultos.

Marco Feliciano virou alvo de retaliações e protestos desde que foi nomeado presidente da CDHM no início do mês de março.

O pastor gerou polêmica por suas declarações contra o comportamento homossexual, que foram consideradas homofóbicas.

Além disso, ele também foi chamado de racista, mesmo sendo filho de uma negra, por declarações bíblicas sobre um descendente amaldiçoado de Noé, que ele relacionou com o continente africano.

O pastor se defende dizendo que sua opinião não pode ser criminalizada. Os ataques vêm principalmente dos ativistas da causa LGBT.

Ele afirma que suas posições contra o homossexualismo são por conta de seus princípios cristãos e que não podem ser confundidas com homofobia.

“Não sou contra os gays, sou contra o ato e o casamento homossexual. Quero o lugar para poder justamente discutir isso. Vai ser debate. Vou ouvir e vou falar”, disse ele, em declarações anteriores.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]