Eutanásia
Eutanásia

Portugal viu-se imerso no debate sobre a eutanásia ao longo de 2021. Agora a maioria voltou a aprovar o texto, mas o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, usou o seu poder de veto para bloquear a lei.

Anteriormente, a Associação Portuguesa de Enfermeiros e Médicos Cristãos (AEMC) tinha manifestado a sua “preocupação”.

Em comunicado, afirmaram “É lamentável que o nosso país, um dos pioneiros na abolição da pena de morte, pretenda agora juntar-se à triste minoria de países no mundo onde a eutanásia é legal”.

A vizinha Espanha foi o último país a legalizar a eutanásia. A Áustria também está longe de descriminalizar o suicídio assistido.

O grupo de profissionais de saúde cristãos acredita que a eutanásia colide com o artigo 24º da Constituição portuguesa, que afirma que “a vida humana é inviolável”.

A descriminalização da eutanásia pode ser apresentada como “uma solução de último recurso, em circunstâncias excepcionais”, mas a realidade de “países como a Holanda ou a Bélgica” não é encorajadora, afirma a AEMC. “Fazer a eutanásia parece ser a solução mais fácil para aliviar dores e sofrimentos insuportáveis, o que tira a responsabilidade do Estado e dos serviços de saúde de cuidar do paciente de forma global até o fim de sua vida”.

A “dimensão física, mas também a mental, a social e a espiritual” devem ser tidas em consideração para que se possa oferecer um cuidado “humanizado” ao paciente.

“Qualquer mudança legislativa que permita a médicos e enfermeiras pôr fim à vida intencionalmente de pacientes, mesmo após solicitação voluntária e reiterada deste, põe em risco a missão e o propósito da medicina e das ciências da saúde e dos próprios profissionais da ética e da deontologia. Também levará inevitavelmente a uma deterioração da relação médico-paciente”.

“Como cristãos, acreditamos e defendemos que a vida é um dom de Deus e que todo ser humano tem valor e dignidade, desde a concepção até a morte natural, sejam quais forem as circunstâncias”, conclui a Associação de Enfermeiros e Médicos Cristãos.

Entrevista

O Dr. Jorge Cruz , um especialista português em bioética que publicou recentemente sobre o tema da eutanásia em revistas especializadas, falou sobre o tema na entrevista abaixo.

Em que fase se encontra a lei da eutanásia em Portugal?

Em 5 de novembro de 2021, o parlamento de centro-esquerda majoritário de Portugal votou pela segunda vez este ano pela legalização da eutanásia, aprovando um projeto de lei revisado que visava corrigir as objeções levantadas pelo Tribunal Constitucional.

A nova versão do projeto foi aprovada com uma votação de 138 a 84 e cinco abstenções.

Mas o presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, vetou este projeto, alegando que as condições para permitir a eutanásia eram muito vagas e muito radicais.

Isso significa que o Parlamento terá de voltar ao debate, e é incerto que a atual maioria a favor da legalização se mantenha após as eleições parlamentares nacionais a serem realizadas em janeiro de 2022.

Quais têm sido as posições na sociedade e na política?

Embora pressionado pelo Partido Socialista e pelo Bloco de Esquerda radical, a questão ultrapassou a divisão esquerda-direita. O Partido Comunista Português é contra a descriminalização da eutanásia, enquanto o partido da Iniciativa Liberal votou a favor.

Os dois maiores partidos deram a seus legisladores voto livre. Um punhado de socialistas votou contra, enquanto o líder da oposição de centro-direita votou a favor, contra a grande maioria de seu Partido Social-democrata.

A Associação Médica Portuguesa, a Associação Portuguesa dos Enfermeiros, o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) e muitas outras entidades opõem-se à legalização da eutanásia e manifestaram preocupação quanto à aprovação do projeto de lei.

Qual tem sido a posição da Associação Portuguesa de Enfermeiros e Médicos Cristãos (AEMC)

A AEMC e a Aliança Evangélica Português têm tornado público em várias ocasiões a sua posição sobre esta questão.

Nós da AEMC pedimos uma audiência com o Presidente português no início do ano para falar sobre este tema, mas não nos foi concedida.

O que você espera que aconteça com essa lei de eutanásia nos próximos meses?

Esperamos e oramos para que no próximo Parlamento a maioria dos legisladores seja contra a legalização da eutanásia, ou pelo menos haja um referendo sobre o assunto – apesar de toda desinformação e mal-entendidos apresentados pela mídia em geral.

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus


Comentários