Hirokazu Ota, religioso japonês da seita Moon que estava seqüestrado no Paraguai, foi libertado esta sexta-feira ao lado de dois reféns paraguaios, depois de passar 19 dias no cativeiro, anunciou um porta-voz da igreja em Tóquio.

Ao lado do japonês estava um casal paraguaio, que testemunhou por acaso o seqüestro, na estrada que liga Assunção a Ciudad del Este.

Ota, 62 anos, é representante de Moon no Paraguai há 10 anos.

Além de pastor, o japonês é presidente da companhia Victoria S.A., que atua no mercado imobiliário.

Fonte: AFP