Lei municipal com normas de segurança foi criada depois que um templo da Igreja Renascer desabou em São Paulo, em 2009, causando a morte de nove pessoas.

Mais da metade dos 691 templos religiosos instalados na cidade não oferecem segurança adequada aos seguidores, segundo a Secretaria de Segurança Pública de Sorocaba (SP).

De acordo com o secretário Roberto Montgomery Soares, 356 imóveis usados para cultos e celebrações religiosas não cumpriram as normas de segurança exigidas por lei municipal e estão sujeitos a penalidades que vão de multas à interdição dos prédios.

A lei foi criada depois que um templo da Igreja Renascer desabou em São Paulo, em 2009, causando a morte de nove pessoas, além de dezenas de feridos.

O prazo para os estabelecimentos se adequarem à legislação foi prorrogado para abril, mas apenas 89 já foram aprovados em vistorias do Corpo de Bombeiros. Um total de 556 não tem sequer a inscrição municipal que autoriza o funcionamento e são considerados clandestinos.

O secretário reuniu quarta-feira (16) representantes de 70 instituições religiosas para cobrar providências. No ano passado, a fiscalização interditou dois templos porque as instalações colocavam em risco os frequentadores.

Porta-vozes de igrejas consideradas pequenas alegam dificuldades para cumprir as normas.

O pastor Marco Antonio de Assis, da Comunidade Aliança Eterna, alegou ser mais fácil abrir um bar do que uma igreja. A congregação fechou três unidades usadas para reuniões com usuários de drogas por não ter condições de cumprir as exigências.

[b]Fonte: Estadão[/b]