O senador Arolde de Oliveira morreu aos 83 anos, vítima de Covid-19. (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) morreu aos 83 anos, na noite desta quarta-feira (21), vítima de Covid-19. Ele estava internado desde 11 de setembro no Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Segundo nota publicada no perfil do senador no Twitter, Oliveira teve falência dos órgãos devido a complicações do quadro de coronavírus.

“Comunicamos que nesta noite (dia 21 de outubro) o Senhor Jesus recolheu para si nosso amado irmão, Senador Arolde de Oliveira. Falecido vítima de Covid e como consequência a falência dos órgãos. A família agradece o carinho e orações. Mais informações à posteriori”.

Arolde de Oliveira era proprietário do Grupo MK de Comunicação, focada no segmento evangélico há mais de 20 anos. Ele comandava a empresa ao lado da esposa, Yvelise de Oliveira, e da filha, Marina de Oliveira.

Nascido no Rio Grande do Sul, Arolde iniciou a carreira militar no Curso de Preparação de Cadetes de Porto Alegre. Cursou a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e se formou em Engenharia Eletrônica no Instituto Militar de Engenharia (IME).

Em 1983 assumiu interinamente o cargo de deputado federal e, em 1986, foi eleito pela primeira vez para a vaga de deputado federal. Oliveira foi parlamentar por nove mandatos e atualmente era senador pelo Estado do Rio de Janeiro.

VIDA PÚBLICA

Arolde de Oliveira nasceu no Rio Grande do Sul e dedicou 38 anos de sua vida na carreira parlamentar. Cursou a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e depois se formou como Engenheiro pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) se especializando em Telecomunicações.

Deputado federal por nove mandatos consecutivos, ele foi eleito senador em 2018 com 17% dos votos válidos, superando nomes tradicionais no Rio, como César Maia (DEM) e Lindbergh Farias (PT). Oliveira disputou as eleições na chapa do então candidato a governador, Índio da Costa (PSD), mas teve na família Bolsonaro o principal apoio para chegar ao Senado.

Entre as principais pautas defendidas pelo senador durante a campanha, estiveram a flexibilização do Estatuto do Desarmamento, a redução da maioridade penal, redução do número de parlamentares, o movimento “Escola Sem Partido” e posições contrárias à legalização do aborto e das drogas.

Amigos e colegas lamentaram, na noite desta quarta-feira (21), a morte do senador Arolde de Oliveira. Parlamentares e artistas utilizaram suas redes sociais para prestar homenagens e desejar sentimentos à família.

Fonte: Pleno News, Guia-me e UOL