O prêmio Nobel da Paz deste ano teve um número recorde de inscrições, 205 entre pessoas e organizações. A longa lista inclui nomes como o dos presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da França, Nicolas Sarkozy, informou o diretor do Instituto Nobel de Oslo, Geir Lundestad.

“Trata-se de um número recorde, depois de 2005, quando foram apresentadas 199 candidaturas”, explicou Lundestad. “Entre elas estão 33 organizações”.

Milhares de pessoas –parlamentares, ministros, ganhadores de anos anteriores, professores universitários e membros de organizações internacionais– podem indicar um nome ao prêmio. A identidade dos candidatos se mantém secreta durante 50 anos, mas alguns nomes podem vazar se os “padrinhos” decidirem anunciar publicamente o nome de seu escolhido.

“É muito fácil ser nomeado ao Nobel da Paz, mas isso não significa, de forma alguma, endosso do comitê”, explicou Lundestad, que classificou a lista de indicados deste ano como uma boa abrangência geográfica.

O nome do escolhido será anunciado em outubro deste ano. Em 2008, o prestigioso prêmio foi entregue ao ex-presidente e mediador finlandês Martti Ahtisaari. Ahtisaari, 71, foi premiado “por seus importantes esforços, em vários continentes e durante mais de três décadas, para solucionar os conflitos internacionais”.

Nascido em 1937, Ahtisaari atuou como professor, embaixador e subsecretário da ONU até 1991. Foi eleito presidente da Finlândia em 1994. Entre seus principais feitos como mediador estão a mediação no Kosovo e o acordo de paz de 2005 entre o governo da Indonésia e os rebeldes da província de Aceh. No Kosovo, ele atuou como enviado especial da ONU (Organização das Nações Unidas) para propor um plano de estabilização do país em meio a conflitos entre sérvios e albaneses.

Nomes

Segundo o comitê do prémio, Sarkozy foi indicado por seus esforços na negociação de paz entre a Rússia e a Geórgia após os conflitos em agosto do ano passado –em disputa pelo controle das separatistas Abkházia e Ossétia do Sul.

Os funcionários não explicaram o motivo da indicação de Obama, mas Lundestad afirmou que “muitos são indicados somente porque as pessoas gostam deles”.

O governo da Macedônia indicou ainda o humanitarista e artista Zivko Popovski-Cvetin. Já a Áustria indicou a entidade de caridade para crianças SOS-Kinderdorf International.

Segundo o comitê, o americano Greg Mortenson foi nomeado por seis membros do Congresso dos EUA por reconstruir um prédio de uma escola na Ásia. Uma campanha levou ainda à indicação do músico Pete Seeger.

Lundestad disse que, normalmente, o comitê reduz a lista de indicados a cerca de 30 nomes em um primeiro encontro marcado para abril.

Fonte: Folha Online