Palhaço Ronald McDonald, mascote da rede de fast-food McDonald's, crucificado como se fosse Jesus Cristo causa polêmica em Israel
Palhaço Ronald McDonald, mascote da rede de fast-food McDonald's, crucificado como se fosse Jesus Cristo causa polêmica em Israel

O Museu de Arte de Haifa, no norte de Israel, disse que vai remover uma escultura polêmica depois que centenas de cristãos árabes protestaram. 

O Museu de Arte de Haifa enfrentou uma intensa crítica dos cristãos da região por exibir a escultura “McJesus” do artista finlandês Jani Leinonen.

Eles declararam a escultura, que retrata o palhaço de Ronald McDonald sendo crucificado na cruz, como “blasfêmia” e exigiram sua remoção.

Protestos se tornaram violentos quando bombas incendiárias foram lançadas no museu e pedras foram atiradas contra a polícia, deixando alguns oficiais feridos. Pelo menos uma pessoa foi presa por suspeita de agressão.

“Eu me oponho a essa escultura vergonhosa”, disse Nicola Abdo, morador e manifestante de Haifa, segundo o jornal The Guardian . ‘Como uma pessoa cristã … eu me ofendo profundamente com essa representação de nossos símbolos.’

“Estou profundamente ofendido por sua exibição vergonhosa zombando de Jesus”, escreveu um visitante  na página do Facebook da galeria.

‘Tenham alguma dignidade e RETIREM’.

A Igreja Católica em Terra Santa pediu na semana passada que seja retirada a obra que é considerada “ofensiva”.

“Entendemos que a exposição tem como objetivo criticar a sociedade de consumo, concordamos com essas críticas. No entanto, o uso abusivo dos fatos mais importantes da nossa religião cristã é inaceitável para muitos cristãos e não cristãos”, declarou a Assembleia dos Ordinários Católicos da Terra Santa em comunicado.

A galeria prometeu remover a escultura, confirmou o prefeito da cidade, Einat Kalisch-Rotem, em um tweet . 

Ela disse que a decisão foi tomada após uma consulta com os líderes da igreja, embora ela não tenha dito exatamente quando a escultura seria retirada. 

“O trabalho será removido e devolvido assim que possível”, disse ela.

A galeria acrescentou: “Lamentamos o agravamento que a comunidade cristã experimentou … e a lesão física e violência que a cercou”.

O trabalho foi emprestado de um museu finlandês e deveria ser devolvido no final do mês. 

A escultura estava colocada como parte de uma exposição chamada “Sacred Goods”, que estava sendo hospedada pela galeria sobre o tema da religião e fé na cultura consumista de hoje.

Fonte: The Christian Today