Irmã Dulce é a primeira santa católica brasileira, canonizada no dia 13 de outubro de 2019
Irmã Dulce é a primeira santa católica brasileira, canonizada no dia 13 de outubro de 2019

A religiosa baiana Maria Rita Lopes Pontes, a Irmã Dulce (1914-1992), foi canonizada neste domingo (13) pelo papa Francisco e se tornou a primeira santa brasileira.

A cerimônia de canonização aconteceu na praça São Pedro, no Vaticano, em frente à basílica de mesmo nome, diante de autoridades e fiéis. 

Iniciada às 5h10 (horário de Brasília), a missa teve uma liturgia específica para canonizações. Logo após cantos iniciais e a saudação do papa, o cardeal Angelo Becciu, prefeito da Congregação das Causas dos Santos, fez o pedido formal ao papa para que cincos beatos fossem considerados santos. 

Além de Irmã Dulce (1914-1992), foram canonizados o britânico John Henry Newman (1801-1890), a italiana Giuseppina Vannini (1859 -1911), a indiana Mariam Thresia Chiramel Mankidiyan (1876 -1926) e a suíça Marguerite Bays (1876 -1926).  

No ritual católico, uma canonização só acontece diante do papa, no Vaticano, diferentemente da beatificação que pode ser no lugar de origem do religioso. O papa, então, iniciou a fórmula da canonização, falando em latim. 

Entre os presentes na cerimônia, além de arcebispos, bispos e cardeais, participaram os postuladores dos cinco santos (os responsáveis pelo processo de canonização junto ao Vaticano) e autoridades.

O Brasil foi representado oficialmente pelo vice-presidente, o general Hamilton Mourão —o presidente Jair Bolsonaro alegou problemas de agenda para não viajar a Roma. 

Fonte: Folha de S. Paulo