Papa Francisco
Papa Francisco

As três vítimas chilenas de abuso sexual cometido pelo padre Fernando Karadima compareceram, neste domingo, ao Angelus do Papa Francisco, a celebração dominical realizada pelo líder da Igreja Católica.

Os três homens participaram da missa a partir de uma sacada do palácio apostólico, local privilegiado e reservado apenas para os convidados do pontífice.

José Andrés Murillo, James Hamilton e Juan Carlos Cruz, estão desde sexta-feira na residência de Francisco dentro do Vaticano, a Casa Santa Marta, um gesto público e sem precedentes do Papa para mostrar seu compromisso na luta contra pedofilia.

Os três apareceram com suas famílias pouco antes do meio-dia, no horário local, em uma sacada do palácio apostólico não muito longe da Capela Sistina. Dois deles já tiveram reuniões separadas com o Papa, conforme eles confirmaram por meio de tuítes.

Abusados sexualmente quando jovens, os chilenos José Andrés Murillo (à esquerda) com sua mulher, James Hamilton (ao centro, de azul) e sua mulher, e Juan Carlos Cruz (à direita) assistiram ao Angelus de uma sacada do palácio apostólico, no Vaticano. Este é um lugar de honra somente para convidados do Papa
Abusados sexualmente quando jovens, os chilenos José Andrés Murillo (à esquerda) com sua mulher, James Hamilton (ao centro, de azul) e sua mulher, e Juan Carlos Cruz (à direita) assistiram ao Angelus de uma sacada do palácio apostólico, no Vaticano. Este é um lugar de honra somente para convidados do Papa

James Hamilton escreveu no Twitter que as mais de duas horas de conversa que teve com Francisco foram “extremamente construtivas”.

Jose Andres Murillo, por sua vez, tuitou que a importância de entender o abuso sexual como “abuso de poder” foi enfatizada durante seu encontro com o Papa.

Já Juan Carlos Cruz ainda deve se reunir com Francisco neste domingo.

“Muito feliz por ver meus queridos amigos Jimmy e José saírem de seus encontros com o Papa calmos e em paz e muito bem-vindos pelo Santo Padre. Obrigado a todos pelo seu amor”, escreveu Cruz em seu tuíte mais recente.

Francisco pediu à Santa Sé que não revelasse o conteúdo de suas conversas com eles, porque sua prioridade é ouvir e pedir perdão. Conforme relatado pelo Vaticano na semana passada, o Papa irá concluir as reuniões na segunda-feira com uma reunião com os três juntos.

Durante uma visita de janeiro ao Chile, em janeiro deste ano, o Pontífice afirmou não acreditar que as alegações dos homens de que um bispo local teria encoberto os casos de abuso. Ele disse, na ocasião, que não havia provas suficientes de que isso teria ocorrido.

Pouco mais tarde, no entanto, o líder da Igreja Católica pediu perdão publicamente por ter duvidado de que houve uma tentativa de esconder os episódios. Ele se disse arrependido por ter subestimado a importância do caso e, logo depois, Francisco convidou as três vítimas a irem até o Vaticano se encontrarem pessoalmente com ele.

Fonte: O Globo