O pastor Calebe Soares, de 28 anos, da igreja evangélica Leão de Fogo, divulga um abaixo-assinado para cassar o mandato do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ).

O pastor afirma que o deputado tem agido com o objetivo de “destruir a família brasileira, a moral e os bons costumes”.

[img align=left width=300]http://images.christianpost.com/portugues/middle/1807/jean-wyllys.jpg[/img]Segundo o abaixo-assinado, o deputado federal e ativista gay, Jean Wyllys (foto), deve ter seu mandato cassado “por falta de Decoro Parlamentar e transgressão a carta mágna [sic] da Constituição Federal Brasileira”. “Esse deputado vêm [sic], com frequência, agindo de forma heterofóbica e contra a família brasileira”, continua o texto do abaixo-assinado.

“Não podemos aceitar que algo desse tipo seja praticado em nossa sociedade e que os deputados como o Jean Wyllys usem de seu poder e autonomia para perseguir, destruir, desmoralizar e arrazoar com a família brasileira e pessoas de bem”, diz outro trecho do abaixo-assinado.

Em sua página no Facebook, o pastor Calebe pede a seus seguidores que ponham fim a “privilégios de minorias” e assinem o abaixo-assinado, que conta com mais de nove mil assinaturas.

Além disso, o pastor utiliza imagens com uma frase que Wyllys teria dito em entrevista à rádio CBN em que defende a pedofilia. Em sua página oficial, no entanto, a rádio desmentiu que o deputado tenha feito tal declaração na emissora.

“A CBN denuncia uma calúnia que vem circulando nas redes sociais contra a emissora. Trata-se de uma informação totalmente falsa sobre uma suposta entrevista do deputado federal Jean Wyllys na qual o parlamentar teria defendido a pedofilia. Tal declaração nunca foi feita na CBN”, diz o comunicado da emissora.

O deputado não se pronunciou a respeito do abaixo-assinado contra seu mandato, mas afirma que vem sofrendo ameaças diante da repercussão que as divergências entre suas opiniões e o fato de o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) ter sido escolhido como presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados têm gerado.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]