James MacDonald, pastor e fundador da igreja Harvest Bible Chapel, em Illinois, nos EUA
James MacDonald, pastor e fundador da igreja Harvest Bible Chapel, em Illinois, nos EUA

A polícia de Illinois, nos EUA, está investigando alegações de que o fundador da Harvest Bible Chapel (HBC), James MacDonald, tentou encontrar um assassino profissional.

“Um sujeito entrou e apresentou um relatório e estamos fazendo uma investigação com base nesse relatório”, confirmou o vice-chefe de polícia de Wilmette, Pat Collins,nesta segunda-feira, 19.

As alegações sobre os esforços de MacDonald para cometer homicídio foram primeiramente relatadas pela jornalista independente Julie Roys, que citou personalidades do rádio de Chicago,  Mancow Muller e Emmanuel “Manny” Bucur, um diácono da HBC e ex-confidente e guarda-costas voluntário da MacDonald’s, como indivíduos que fizeram as denúncias.

Muller alega que MacDonald perguntou a ele, pelo menos duas vezes, em 2018, se ele conhecia um assassino que pudesse contratar. Inicialmente, ele achava que o fundador da HBC estava brincando, mas ficou claro para ele durante uma conversa em dezembro que MacDonald estava falando sério, relatou Roys.

Bucur alegou que, cerca de três anos antes, em 2015, MacDonald, pai de quatro meninas, pediu-lhe que matasse seu ex-genro, Tony Groves, e se ofereceu para ajudar a descartar o corpo. Ele argumentou que não denunciou MacDonald porque ele parecia estar com raiva porque sua filha supostamente estava ferida e classificou a proposta como um lapso momentâneo de julgamento.

MacDonald disse que, com seu passado de veterano de combate, não seria muito difícil matar Groves e sair impune.

Muller confirmou que apresentou um relatório à polícia onde mora em Wilmette, Illinois, na quinta-feira, e disse que tem pavor de MacDonald, que ele acredita ser “perigoso” e pode estar mirando nele. Desde a apresentação do relatório, Muller diz que a polícia aumentou as patrulhas em torno de sua casa, enquanto ele também contratou segurança privada.

Bucur também teria apresentado um relatório separado com a polícia em Bartlett, Illinois, que disse que permitiria que a investigação de Wilmette continuasse, em vez de abrir uma segunda investigação.

Sob a  lei de Illinois, uma pessoa que solicita ou encoraja alguém a assassinar outra pessoa é culpada de solicitação de assassinato e a sentença pode ser de 15 a 30 anos de prisão.

Folha Gospel com informações de The Christian Post