O pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), cotado para presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, diz que não é homofóbico, mas é contra o ato sexual entre pessoas do mesmo sexo.

“Me desculpe se eu agredir os seus ouvidos, mas o reto não foi feito para ser penetrado. Não sou contra o homossexual, sou contra o ato homossexual. Todo cristão é contra o ato homossexual”, afirmou. As informações foram publicadas no jornal Folha de S. Paulo.

A confirmação do nome do deputado para o colegiado deve ser feita hoje. A comissão recebe e investiga denúncias de violações de direitos humanos e discute e vota propostas na área. E é o presidente da comissão quem determina a pauta dos projetos que devem ser votados.

“Não vou recuar, e se meu partido recuar vai ser muito feio”, disse o pastor. Ele afirmou que foi alvo de “infâmia, perseguição e até ameaça de morte” depois que foi sondado para assumir o posto.

[b]Fonte: Portal Terra[/b]