Os resultados de uma pesquisa divulgada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que os estudantes brasileiros passam menos tempo em sala de aula do que o mínimo recomendado pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB).

De acordo com os dados obtidos, divulgados nesta terça-feira, estudantes de 0 a 17 anos passam, em média, 3,9 horas por dia em aula. A LDB estabelece que o tempo mínimo deve ser de quatro horas.

A pesquisa mostra como o tempo de permanência em sala de aula varia de um Estado para outro. No Distrito Federal, a média é de 4,8 horas; em São Paulo, 4, 5 horas; e no Acre, que ocupou a última posição no ranking, 3,1 horas.

A FGV criou ainda um índice inédito que avalia a permanência em sala de aula com base em três indicadores, taxa de matrícula, horas de aula por dia e número de faltas.

Os mais baixos índices foram registrados no Acre (0,39), Amazonas (0,42), Rondônia (0,43), Maranhão (0,43) e Mato Grosso (0,44). Já o Distrito Federal tem a mais alta permanência de estudantes (0,68), seguido por São Paulo (0,66), Espírito Santo (0,64), Rio de Janeiro (0,62) e Minas Gerais (0,62).

O estudo foi feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE, em seis unidades da federação. Participaram da pesquisa Distrito Federal, Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro.

Fonte: Terra