A pesquisa realizada pelo Ibope, divulgada ontem, revela que a juventude católica quer mudança.

Segundo a pesquisa, encomendada pelo grupo Católicas pelo Direito de Decidir, 90% pedem punição de religiosos envolvidos em crimes de pedofilia, 72% aprovam o fim do celibato e 62%, a ordenação de mulheres.

O uso da pílula do dia seguinte, para evitar gravidez, é aprovado por 82% dos católicos jovens. A criminalização do aborto é condenada por 62% dos fiéis entre 16 e 29 anos.

Já a união entre pessoas do mesmo sexo é apoiada por 56% dos católicos com menos de 30 anos.

“Há uma defasagem enorme entre o que pensam e praticam os fiéis e as normas da instituição, especialmente no que se refere à moral sexual”, afirma a socióloga Maria José Rosado, coordenadora do grupo católico.

O Ibope ouviu 4.004 brasileiros, 62% deles católicos. Cerca de 31% têm entre 16 e 29 anos. “A multidão de jovens que participará da Jornada Mundial da Juventude sinaliza que vai atrás de um líder carismático, como o papa Francisco, mas não segue a mensagem da igreja”, diz Maria José Rosado.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]