Uma pesquisa feita com ateus e agnósticos nos Estados Unidos revelou que uma parte das pessoas que afirmam não crer em Deus mantém uma rotina de preces e orações.

Realizado pelo Fórum Pew de Religião e Vida Pública, o levantamento constatou que há no país aproximadamente 46 milhões de pessoas que não possuem vínculos com religiões.

Esse número inclui, além de ateus e agnósticos, pessoas que cultivam sua fé sem necessariamente estar vinculado a uma religião específica. O grupo é dividido em 13 milhões de ateus e agnósticos, e 33 milhões de “fiéis sem religião”.

Um artigo do jornal Washington Post, escrito pela jornalista Michelle Boorstein, destacou o fenômeno de um pequeno grupo de ateus, agnósticos e/ou pessoas sem vínculos com religiões que mantém uma rotina de oração.

No texto, Michelle destaca o caso de um homem chamado Sigfried Gold, que “cai de joelhos no carpete bege de seu quarto, inclinando a face até o chão e orando a Deus” diariamente.

“Mesmo Gold não acreditando que exista algum ser sobrenatural lá fora, atendendo às suas orações, ele chama sua criação de ‘Deus’ e se descreve como tendo tido uma ‘conversão’ que só pode ser caracterizado como um ‘milagre’. Sua vida tem sido misteriosamente transformada, diz ele, através do poder de pedir”, relata a jornalista.

No grupo de 33 milhões de “fiéis sem religião”, aproximadamente 67% declararam crer em Deus, e mais de 50% afirmaram sentir uma profunda ligação com a natureza e a Terra, enquanto que 33% se veem como pessoas “espirituais, mas não religiosos”, e 20% das pessoas enquadradas nesse grupo revelaram realizar orações diárias.

No grupo de 13 milhões de ateus e agnósticos, 17% disseram realizar orações diárias, semanal ou mensalmente. No entanto, essas pessoas podem estar se denominando ateias de forma equivocada, segundo o escritor David G. McAfee: “Se você orar a um ser sobrenatural ou força que você chama ‘Deus’, você não é ateu”, disse o autor do livro Mom, Dad, I’m an Atheist: The Guide to Coming Out as a Non-Believer (que pode ser traduzido como “Mãe, pai, eu sou um ateu: Um guia de como se revelar um não crente”), ao Huffington Post.

[b]Fonte: Gospel+[/b]