A Polícia Civil de Pernambuco abriu inquérito para investigar se três músicas de MCs, que tocam diariamente nas emissoras de rádio no Estado, incentivam a prática de pedofilia. A investigação foi aberta a pedido do MP (Ministério Público Estadual), que questionou versos das canções que viraram “hits” no Estado.

As letras das músicas “A posição da rã” e “Gostou, novinha?”, dos MCs Cego e Metal, e “Se eu mato, eu vou preso”, composta pelo MC Sheldon, caíram na boca do povo, mas, para o MPE, contêm versos com duplo sentido e poderiam ferir o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) ao incentivar a prática sexual com adolescentes.

A polêmica sobre o conteúdo das letras teve repercussão após a denúncia de que adolescentes estariam em duas apresentações dos MCs Cego e Metal em Recife. Por conta da denúncia, o Tribunal de Justiça de Pernambuco baixou uma portaria, em maio, proibindo a entrada de menores de 18 anos desacompanhados de pais ou responsáveis em shows.

A determinação abrange até mesmo apresentações diurnas. O produtor do evento e o estabelecimento que infringirem a determinação poderão ser multados em até 20 salários míninos.

[b]Depoimentos já começaram
[/b]
Hugo Alisson de Araújo, o MC Cego, e Leonardo Correia de Souza, o MC Metal, prestaram depoimento na sede da Gerência de Proteção à Criança e ao Adolescente (GPCA), no Recife, na última sexta-feira (12), e foram os primeiros a prestar esclarecimentos sobre as letras de duas das músicas questionadas.

Segundo a delegada Kelly Luna, que investiga o caso, os MCs alegaram que cantam retratando a realidade das pessoas que vivem nas comunidades carentes e que se referem como novinhas às jovens com idade entre 18 e 25 anos.

A delegada informou ainda que não vai adiantar detalhes, mas disse que vai intimar o MC Sheldon e seu companheiro, o MC Boco, sob a mesma acusação. “Estamos no início das investigações, e outras pessoas vão ser chamadas. Mas não podemos detalhar nada sobre as investigações por se tratar de suposto crime contra criança e adolescente”, informou Kelly Luna.

As músicas investigadas pela polícia tocam com frequência nas rádios e nos shows dos MCs shows, que adotam um estilo classificado como “tecnobrega”. Um dos trechos polêmicos da música “Gostou, novinha?” dá a entender que há prática sexual com menores de idade. “Geral foi a loucura/ e as novinha gostou (sic)/ É que Metal e Cego parece ator de pornô”.

Já a letra de “Se eu mato, eu vou preso”, cantada pelos MCs Sheldon e Boca, insinua sobre sexo com menores de idade. Na letra, o autor diz ter preferência por adolescentes e escolhe a idade das garotas.
“As de 14 eu tô fora/ as de 15 é muito nova [sic]/ a 16 já ta na hora / 17 eu vou agora”, diz um trecho. O refrão é ainda mais claro: “Mas se eu mato, eu vou preso/ se eu roubo, eu vou preso/ se é pra pegar novinha, eu vou preso satisfeito”.

[b]“Novinha” vai virar “gatinha”
[/b]
A polêmica do termo “novinha” está com os dias contados, segundo informou ao UOL Notícias o produtor dos MCs Cego e Metal. A dupla promete substituir o termo por outros que não gerem duplo sentido.
O produtor Thiago Matos, que produz a dupla e também o MC Sheldon, disse que os artistas ficaram surpresos com a polêmica criada em cima do termo e vão substituir a palavra “novinha” por “gatinha”.

“Para gente não tem diferença usar novinha, gatinha, lindinha. Falamos assim para agradar ao nosso público, que é maior de idade, na maioria jovens de 18 a 25 anos. As garotas não iam gostar se chamassem de coroa e para agradar falamos ‘novinha’. Todo mundo sabe que nos nossos shows não entra adolescente”, disse o produtor.

Ele ressaltou que as letras das músicas retratam a realidade vivida na periferia e que a dupla faz sucesso em todo o Nordeste. “Cada MC faz em média 35 shows por mês, e isso mostra aprovação das pessoas em relação às letras das músicas. Nosso trabalho é voltado para a periferia, que é onde vivemos, e não para os ‘boyzinhos’ de Boa Viagem [bairro de luxo à beira-mar do Recife]”, disse.

Questionado sobre a letra da música “Se eu mato, eu vou preso”, do MC Sheldon, que diz diretamente a preferência da idade das pretendentes, o produtor diz que a letra mostra que eles não querem adolescentes, mas sim garotas maiores de 18 anos. Porém, ele não soube explicar o porquê da expressão “se é pra pegar novinha eu vou preso satisfeito”. “Tudo não passa de uma brincadeira”, afirmou.

[b]Falha na estrutura social
[/b]
Para a pedagoga Joseneide Barbosa, que estuda o comportamento de adolescentes nas escolas, o sucesso de letras com duplo sentido e incentivo à prática de sexo com adolescentes é fruto da falta de educação e cultura nas comunidades, especialmente na periferia das grandes cidades.

“Eles vivem numa estrutura carente de tudo. Esse apartheid social faz com que esses jovens fiquem sem qualquer orientação e acabem gostando de músicas com essas conotações”, disse.

[b]Fonte: UOL[/b]