A Igreja Católica será a única responsável por discutir com as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) a criação de uma “zona de encontro” para negociar a troca de reféns por guerrilheiros presos, anunciou ontem o presidente colombiano, Álvaro Uribe.

A zona deve ser estabelecida em uma área rural de cerca de 150 km2 -onde, ressaltou Uribe, “não haja instalações ou presença militar nem policial a remover”.

O presidente diz que a oferta -uma resposta à exigência de desmilitarização feita pelas Farc- resulta de longa reflexão.

“Um acordo humanitário que ignorasse a segurança democrática -programa do governo contra as guerrilhas- poderia fortalecer um ressurgimento dos seqüestros”, disse Uribe.

Dom Luís Darío Castro, presidente da Conferência Episcopal da Colômbia, pediu aos rebeldes que considerem positivamente a proposta.

Fonte: Folha de São Paulo