Protestos na Índia contra a presença de mulheres em um templo hindu
Protestos na Índia contra a presença de mulheres em um templo hindu

Três dias de protestos violentos no sul da Índia, desencadeados por duas mulheres que entraram em um dos templos mais sagrados do hinduísmo, já registraram mais de 1.700 pessoas presas, disse a polícia.

O templo de Sabarimala, no estado de Kerala, esteve no centro de um prolongado confronto entre devotos hindus e mulheres ativistas pelo acesso ao santuário.

Homens revoltados com a presença de mulheres no templo entraram em confronto com forças de segurança.

Assim como os detidos durante os confrontos, mais de 600 foram detidos preventivamente, disse o porta-voz da polícia, VP Pramod Kumar, à AFP.

“A polícia é extremamente vigilante. Há tensão, mas é pacífica”, disse ele, acrescentando que a polícia havia imposto proibições ao movimento de pessoas nas cidades de Palakkad e Kasargod, dois locais de violência na quinta-feira.

A raiva irrompeu na quarta-feira, depois que duas mulheres com seus devotos de 40 pés pisaram fundo no templo de Sabarimala, no estado de Kerala, através de uma entrada lateral antes do amanhecer para adorar.

Esta foi a primeira vez que uma mulher colocou os pés no templo banhado a ouro desde que a Suprema Corte anulou a proibição, em setembro, da
presença de mulheres de 10 a 50 anos, nos templos.

Milhares de devotos hindus, muitos deles do sexo feminino, conseguiram impedir que as mulheres acessassem o local nas semanas que se seguiram à decisão histórica, com alguns radicais jogando pedras na polícia e agredindo jornalistas do sexo feminino.

O veredicto do tribunal provocou revolta entre os tradicionalistas hindus, inclusive no Partido Bharatiya Janata (BJP), do primeiro-ministro Narendra Modi.

Os confrontos de quarta-feira e quinta-feira entre os devotos, ativistas da aliança esquerdista de Kerala e a polícia de choque lançando gás lacrimogêneo e canhões de água deixaram um homem morto e pelo menos 15 pessoas feridas.

Terceira mulher entra no templo

A polícia indiana disse na sexta-feira que uma terceira mulher desafiou os tradicionalistas a entrar em um dos templos mais sagrados do hinduísmo, alimentando as tensões após dois dias de confrontos que deixaram cerca de 275 feridos.

A terceira a entrar no templo, na noite de quinta-feira em meio à multidão de milhares de outros devotos, foi uma mulher do Sri Lanka que supostamente mora com a família na França.

“Ela entrou no templo ontem à noite. Ela tem 47 anos e veio como devota. Estávamos atentos e observamos a situação”, disse Balram Kumar Upadhyay, um oficial da polícia, à AFP.

Um total de 1.718 pessoas foram presas, com mais 1.009 detidas preventivamente em Kerala, até esta sexta-feira.

Fonte: AFP