Racha na cúpula da Record. Presidente da emissora, Alexandre Raposo negou ontem que os programas da Igreja Universal do Reino de Deus deixarão as madrugadas da rede a partir de 2010, como vem anunciando o vice-presidente comercial, Walter Zagari.

“Não discutimos esse assunto”, afirmou Raposo à Folha. “[A programação da igreja] Não vai sair. Não tem porquê sair. É um horário em que a emissora fatura e que não atrapalha em nada [na média do Ibope], porque a audiência que conta é a das 7h à 0h”, sustenta.

Na semana passada, a versão on-line da revista “Meio & Mensagem”, baseada em informações de Zagari, publicou que a saída dos programas da Universal são uma “estratégia formulada” pelo bispo Edir Macedo para “desvincular totalmente a igreja da emissora de TV”.

Zagari teria dado as declarações após ser provocado em um evento por um interlocutor que lembrou das relações da Record com a Igreja Universal.

A Universal paga cerca de R$ 300 milhões por ano pelas quase seis horas que ocupa na Record. Com um ponto no Ibope, é a madrugada mais cara da TV.

A presença da Universal na grade da Record constrange profissionais não-evangélicos da TV, que torcem para que a emissora sobreviva apenas de anunciantes comuns. Procurado por telefone, Walter Zagari não falou sobre o assunto até a conclusão desta edição.

Fonte: Folha de São Paulo