Cristãos sofrem perseguição por causa da fé em Jesus
Cristãos sofrem perseguição por causa da fé em Jesus

A perseguição religiosa aos cristãos é uma realidade inegável e cada vez mais preocupante, visto que no decorrer dos anos ela tem se diversificado, alcançando níveis alarmantes de intolerância aos seguidores de Jesus Cristo, mas também de outras tradições religiosas.

Os Estados Unidos, sob a liderança do presidente Donald Trump, tem assumido a dianteira da luta contra a perseguição religiosa no mundo. Uma das provas disso é a elaboração de um documento conhecido como “Relatório de Liberdade Religiosa Internacional”.

O relatório traz dados sobre a evolução da intolerância religiosa nas regiões mais críticas do planeta, apontando as principais fontes de perseguição, grupos e vítimas da intolerância religiosa.

Este relatório, que descreve o status da liberdade religiosa em todos os países entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2019, “abrange políticas governamentais que violam as crenças e práticas religiosas de grupos, denominações e indivíduos religiosos e as políticas dos EUA para promover a liberdade religiosa em todo o mundo. mundo “, diz o site do Departamento de Estado dos EUA.

O governo americano se baseia na Lei Internacional de Liberdade Religiosa de 1998 (PL 105-292) para emitir seu relatório, o qual tem o conhecimento do Congresso Nacional. A partir disso ações de emergência, como investimento financeiro, são iniciadas em vários países.

Segundo o Charisma News, Dede Laugesen, diretor executivo da Save the Persecuted Christian, uma organização que atua para proteger os cristãos perseguidos pelo mundo, elogiou o relatório publicado este ano, destacando o quanto o documento é uma referência para a tomada de ações em prol da liberdade de culto.

“Este relatório é fundamental para o cumprimento da ordem executiva do presidente, emitida no início deste mês, ordenando que a liberdade religiosa seja priorizada na implementação da política externa dos EUA, planejamento e programas de ajuda e exigindo treinamento em liberdade religiosa para todo o pessoal que atua no exterior”, disse Laugesen.

Laugesen se referiu ao investimento de US$ 50 milhões por ano anunciado por Trump dias atrás, a fim de promover o combate à discriminação religiosa no mundo. O chefe do Executivo americano cobrou prioridade do seu legislativo sobre esta agenda.

“A liberdade religiosa para todas as pessoas em todo o mundo é uma prioridade da política externa dos Estados Unidos, e os Estados Unidos respeitarão e promoverão vigorosamente essa liberdade”, diz a Ordem Executiva de Trump.

Fonte: Gospel Mais e Charisma News