Renalida Carvalho
Renalida Carvalho

Marcada para a noite dessa quarta-feira (15), a inauguração do novo templo da igreja liderada pela pastora Renallida Carvalho, em Cabedelo, Região Metropolitana de João Pessoa, foi impedida pela Vigilância Sanitária. Os fiéis que ocupavam o espaço precisaram ser retirados após o local ser interditado temporariamente.

Recém inaugurada, a Igreja Pentecostal Tempo de Milagres (IPTM), na Paraíba, comporta 3 mil pessoas, mas a abertura desta quarta-feira (15), iria permitir apenas 700 pessoas. No entanto, o templo foi fechado, após termo de notificação da Vigilância Sanitária da Prefeitura Municipal de Cabedelo. O local não tem alvará de funcionamento. Além disso, foi identificada aglomeração no culto desta quarta.

A notificação ainda determinou o cumprimento imediato de recomendações sanitárias. Foram citados os protocolos sanitários de prevenção à propagação da Covid-19, o que inclui o uso obrigatório de máscara, ocupação máxima de 50%, controle do fluxo de entrada e saída, evitar aglomerações, e outras medidas. Além disso, também foi mencionada a retirada de fiação exposta antes da inauguração.

“O proprietário foi orientado sobre as determinações regidas pelo Protocolo Sanitário referente às atividades religiosas e decretos vigentes, com o intuito de evitar a propagação da Covid-19”, diz trecho do Termo de Notificação lavrado pela equipe de fiscalização da Vigilância Sanitária de Cabedelo.

Portanto, para que os cultos continuem sendo realizados no local, que fica localizado no Loteamento Jardim Gama, próximo da rodovia BR-230, a igreja precisa realizar os reparos, e posteriormente liberar a presença de público.

Logo após a interdição do espaço, a pastora juntamente com os líderes e os fiéis se concentraram na areia da praia, onde a ministração religiosa aconteceu. Nas redes sociais, através de uma transmissão ao vivo, a pastora Renalida Carvalho falou sobre o caso.

“Podem ter tentado fechar a igreja, me chamada de ladra. Tem problema não, eu tenho gogó. O que Deus determinou vai ser feito”, disse ela durante a live. “A Igreja lá, proibiram, mas a Praia aqui Jeová vai fazer. Presta atenção, eu não estou preocupada com o que falam (…) O que Deus determinou vai ser feito”, pregou Carvalho.

A transmissão ao vivo do culto ao ar livre repercutiram rapidamente nas redes sociais, inclusive nas páginas de famosos da Internet, a exemplo da advogada Deolane Bezerra, viúva do MC Kevin, que veio de São Paulo-SP a convite da pastora para participar da inauguração da IPTM Paraíba.

Polêmica sobre transferências Pix

Uma nota publicada pela assessoria jurídica da influenciadora digital gospel Renalida Carvalho, na tarde desta quarta-feira (15) repercutiu após comentários do pastor Anderson Silva, líder da Igreja em Movimento. O religioso chamou de “estelionato espiritual” o ato da influenciadora em pedir transferências via PIX em formato de “voto”. Na publicação ele menciona ainda o pastor Leonardo Sales, da Catedral IPTM.

“A ignorância bíblica e teológica do povo de Deus produzem falsos profetas como Renalida e Leonardo Sales! Um revela CPF, a outra faz campanha do voto do PIX. Onde está isso na Bíblia?”, questionou Anderson Silva.

No documento, compartilhado no perfil de Renálida, os advogados afirmam que devem processar o religioso autor dos comentários por calúnia e difamação. A nota segue assinada por Igor Guimarães Lima e Joalysson Guedes Resende, advogados da religiosa.

Confira na íntegra!

“A assessoria Jurídica da pastora Renalida, vem a público repudiar veementemente as acusações levianas e descabidas proferidas pelo Pastor Anderson Silva que de forma sub-reptícia tenta destruir a reputação de uma pessoa pública, que há quase vinte anos dedica sua vida em prol da obra de Deus, cumprindo uma função social de grande relevância para nossa cidade e estado, prestando auxílio espiritual indistintamente: “E disse-lhes: Ide por todo mundo, pregai o Evangelho a toda criatura”. Marcos 16:15.

Deveras, o citado pastor não pode exorbitar de seu direito a livre expressão e imputar falsamente o crime de estelionato sem qualquer plausibilidade jurídica, porquanto, pastora Renalida jamais se utilizou da fé e da crença religiosa do indivíduo para enganar outrem ou auferir qualquer vantagem patrimonial.

Reiteramos o compromisso com os fiéis, pois amar é servir e toda a doação destinada a obra de Deus é convertida para a obra de Deus, não estando ninguém obrigado a doar. Lembramos que nada a que possa macular a conduta da pastora Renalida ao longo desses 20 anos de compromisso com a Igreja de Cristo.

Nesse sentido, toda Assessoria Jurídica da pastora estará trabalhando para coibir essa conduta, buscando a responsabilização criminal do agente pelos delitos de calúnia e difamação.”

Fonte: Portal do Trono e Portal T5