Zarqa Nawaz, uma jovem muçulmana praticante nascida em Liverpool e criada em Toronto, recorreu a suas experiências para escrever uma comédia com o intuito de aproximar o Oriente ao Ocidente e, de passagem, mostrar o que é ser muçulmano na vida diária.

A série é transmitida há várias semanas na emissora CBC, do Canadá.

“Little Mosque on the Prairie” (A pequena mesquita da pradaria), relata a diretora, quer eliminar medos e preconceitos existentes na sociedade em relação aos muçulmanos, desde os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 contra as Torres Gêmeas de Nova Iorque e o Pentágono.

A CBC anunciou que vai repetir a veiculação do seriado no outono, enquanto seus vizinhos estadunidenses já fizeram as primeiras provas de audiência para avaliar a possibilidade de inclui-la na sua programação.

A idéia dessa produção foi inspirada nas experiências pessoais de Zarqa, que é mãe de quatro filhos e mudou-se para a região de Regina há uma década, vinda de Toronto. Foi quando começou a escrever e produzir curtas sobre terrorismo, burcas e fatuas. Seu último trabalho antes desta série foi o documentário “A mesquita e eu”, produzido em 2005.

“Já é hora de rirmos de nós mesmos”, declarou o presidente do Congresso Muçulmano Canadense, Mohamed Elmasry e imã de Waterloo. Para outros religiosos, a série não tem graça. Eles acreditam que a inclusão real deveria vir por intermédio de programas sérios e com conteúdo mais profundo.

O programa mostra a vida cotidiana da comunidade muçulmana num pequeno povoado situado numa pradaria do Canadá, onde ocorrem todos os tipos de situações. No Canadá vivem atualmente 600 mil muçulmanos.

Fonte: ALC