Em nota enviada a imprensa, o pastor Silas Malafaia fez questão de comentar sobre o manifesto assinado por pastores da capital paulista dando apoio político ao candidato do PT Fernando Haddad que concorre à Prefeitura.

As informações dadas pela imprensa nesta segunda-feira (22) dizem que o petistas foi chamado por líderes de 20 entidades evangélicas para receber apoio diante das constantes críticas vindas de outros religiosos, incluindo o pastor Malafaia.

Ao comentar a situação, o apresentador do programa Vitória em Cristo desmentiu o caso dizendo que os pastores não convidaram o ex-ministro da Educação, mas que o próprio partido realizou o evento e que os convidados não sabiam que o documento assinado também estaria sendo usado contra Silas Malafaia.

No total, foram quatro mentiras apresentadas pelo pastor da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, um dos líderes religiosos de maior expressão em todo o Brasil.

Aproveitando a oportunidade, Malafaia escreveu que Haddad se negou a responder aos pastores presentes sobre o chamado “kit gay”.

Leia na íntegra:

“A mentira deslavada de Haddad e do PT para enganar os evangélicos e a sociedade de São Paulo

Acredito que Fernando Haddad nem precisa fazer teste para ser artista; ganha vaga em qualquer filme de Hollywood. Haddad e o PT produziram a notícia que 20 entidades evangélicas e vários pastores o estão apoiando. Tenho certeza de que ele aprendeu a mentir com seus mentores, que acabam de ser condenados pelo Supremo Tribunal Federal por formação de quadrilha.

Vejamos:

MENTIRA 1: Que os pastores pediram reunião com ele. Mentira! A equipe de Haddad que convidou os pastores, e a reunião aconteceu no diretório do PT em São Paulo.

MENTIRA 2: Que os pastores assinaram o manifesto de apoio a Haddad e contra minha posição “violenta” em relação a ele. Mentira! Os pastores assinaram um documento de apoio a Haddad sem saber que o documento também era um documento contra minha pessoa.

MENTIRA 3: Que a reunião foi feita com 200 líderes de entidades evangélicas. Mentira! Não tinha um líder, isto mesmo, um líder evangélico de expressão em São Paulo. Havia somente líderes sem projeção. Se desejarem, eu dou a lista dos 20 maiores líderes evangélicos de São Paulo, e nenhum deles estava lá.

MENTIRA 4: Que 20 entidades evangélicas estão apoiando Haddad, inclusive a CGADB. Mentira! Como sempre tenho dito, quem apoia são as pessoas, e não as entidades. A CGADB, entidade maior das Assembleias de Deus do Brasil, é presidida pelo Pr. José Wellington, que apoia Serra e nunca falou em nome da CGADB ou da Assembleia de Deus.

Esta eu deixei para o final: os pastores que estavam na reunião questionaram Haddad sobre o kit gay, e ele se recusou a responder.

Segundo Haddad, quando eu apoiei Serra, ele disse que não iria dar importância ao submundo da política e ao mundo das trevas. Agora, com medo de não receber o voto dos evangélicos, monta uma farsa para tentar ludibriar o povo evangélico e a opinião pública de São Paulo.”

[b]Fonte: Gospel Prime
[/b]