“Judeu não deve alugar a televisão para os outros.”, afirmou o dono do SBT, Silvio Santos.

Avesso à entrevistas, Silvio Santos, 82, acabou cedendo às investidas de um repórter da Folha de S.Paulo e conversou sobre o filme que querem fazer sobre sua vida, Gugu, Igreja e sobre a situação do SBT, atualmente a terceira emissora com mais audiência do País. Atrás da Globo e da Record.

A Record, segunda colocada, passa por dificuldades financeiras. Silvio comentou o assunto: “Estamos lutando. O lugar [no ranking de audiência] é importante, mas a administração [correta da empresa] é melhor. A Record está perdendo um dinheirão. Por quê? Porque está administrando mal. Está jogando dinheiro fora [risos]”.

Mas Silvio disse que nunca se saberá exatamente qual é situação da concorrente, já que a Igreja Universal está por trás de tudo.

Questionado sobre os motivos de não vender horários para igrejas, o dono do SBT explicou que é contra seus princípios. “Judeu não deve alugar a televisão para os outros. Você não sabe que os judeus perderam tudo quando deixaram outras religiões entrarem em Israel? A história é essa. No dia em que os judeus começaram a deixar que outros deuses fossem homenageados em Israel, os babilônios foram lá e tiraram o templo e jogaram os judeus para fora. O judeu não pode deixar que na casa dele tenha outra religião. É por isso que não deixo nenhuma religião entrar no SBT”.

[b]Filme[/b]

O apresentador não quer que sua vida vire tema de filme. Ele contou que não deixará o diretor Guga de Oliveira contar sua história. “Por que eu não dou entrevista, não concordo com livro sobre mim, com filme… Se nenhum advogado, nenhum médico ou professor é cercado de todas essas regalias, eu também não devo ser”.

[b]Fonte: Yahoo[/b]