Dina Avshalom-Gorni e Dr. Yehuda Guvrin na sinagoga que foi descoberta.
Dina Avshalom-Gorni e Dr. Yehuda Guvrin na sinagoga que foi descoberta.

Arqueólogos israelenses descobriram uma sinagoga na Galileia que data da época de Jesus.

Ao anunciar a descoberta, a Universidade de Haifa disse que a sinagoga na cidade de Migdal, no lado noroeste do Mar da Galileia, tem 2.000 anos.

Os primeiros cristãos acreditavam que Migdal, anteriormente chamada de Magdala, era o local de nascimento de Maria Madalena.

De acordo com os Evangelhos do Novo Testamento, ela foi uma das primeiras testemunhas oculares do túmulo vazio após a ressurreição de Jesus dentre os mortos.

Esta é a segunda sinagoga antiga que os arqueólogos encontraram na cidade, que no século I da Galileia era um grande porto de pesca e serviu de base para as operações militares dos judeus em sua guerra contra os romanos de 66 a 70 DC.

Em 2009, a Autoridade de Antiguidades de Israel escavou a primeira sinagoga da era romana descoberta na Galileia, a cerca de 200 metros da sinagoga recém-descoberta.

Dina Avshalom Gorny, que está dirigindo a última escavação para a Universidade de Haifa, disse: “A inauguração de uma segunda sinagoga lança luz sobre a vida social e religiosa dos judeus na Galileia durante este período e indica a necessidade de uma estrutura especial para o estudo da Torá e leitura e reunião social. “

A Universidade de Haifa disse que a escavação atual revelou uma ampla estrutura quadrada construída de basalto e calcário, com um corredor central e duas salas adicionais.

O teto do salão, que provavelmente era feito de madeira e barro, era sustentado por seis pilares. Duas bases de pedra destes foram preservadas.

“Uma pequena sala no lado sul do corredor continha uma prateleira de pedra gessada e pode ter servido como uma sala para armazenar os pergaminhos”, acrescentou a universidade.

Esta é a primeira vez que duas sinagogas antigas foram descobertas na mesma localidade em Israel, anunciou a Universidade de Haifa.

Folha Gospel com informações de The Christian Today


Comentários