Mãos postas sobre a Bíblia durante oração
Mãos postas sobre a Bíblia durante oração

As consequências financeiras da pandemia de coronavírus deixaram dezenas de sociedades bíblicas em todo o mundo em risco de fechamento.

O impacto do bloqueio em muitos países interrompeu a venda de Bíblias através das Sociedades, além de impedir o trabalho vital de captação de recursos nas igrejas locais. 

Em alguns países, como Jordânia, Burkina Faso e Egito, as Sociedades são um dos poucos lugares onde as pessoas podem comprar uma Bíblia.

Eles também são um dos principais impulsionadores do trabalho de tradução e engajamento da Bíblia e administram muitos programas adicionais para apoiar grupos minoritários vulneráveis, como crianças de rua, cegos e analfabetos.

A Sociedade Bíblica foi fundada em 1804 por ativistas cristãos, incluindo William Wilberforce, e hoje existem 150 Sociedades Bíblicas em operação em todo o mundo.

Mas cerca de 88 delas – atendendo 245 milhões de pessoas – estão ameaçadas de fechamento

Um sistema de 5 milhões de euros foi lançado pela Sociedade Bíblica na Inglaterra para salvar as Sociedades em maior risco, com o primeiro conjunto de fundos já destinado à Gâmbia, Sri Lanka e Costa Rica.

Oldi Morava, Diretor de Missão Internacional da Sociedade Bíblica, na Inglaterra, disse: “Em todos esses países, a Bíblia tem um impacto na vida das pessoas e pode mudar radicalmente a vida das pessoas e suas comunidades.

“Se essas sociedades bíblicas fecharem, enfrentaremos uma situação em que a Bíblia não será distribuída em alguns países e haverá um grande risco de as comunidades cristãs não terem acesso à Bíblia.”

Ele acrescentou: “As sociedades bíblicas operam há mais de 200 anos. Passamos por duas guerras mundiais e pela pandemia de gripe de 1918. Sempre conseguimos continuar. Seria terrível se algumas sociedades bíblicas ao redor do mundo tivessem que fechar agora por causa da pandemia de coronavírus”.

Folha Gospel com informações de The Christian Today