Marcelo Crivella durante entrevista ao repórter Roberto Cabrini no programa Conexão Repórter, do SBT
Marcelo Crivella durante entrevista ao repórter Roberto Cabrini no programa Conexão Repórter, do SBT

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, concedeu entrevista ao apresentador Roberto Cabrini, do programa Conexão Repórter, do SBT. No programa que foi ao ar nesta segunda-feira, 16, ele falou sobre as acusações que vem sofrendo e sobre diversos aspectos de sua gestão da cidade.

O prefeito do Rio comentou as acusações que levaram aos pedidos de impeachment na Câmara de Vereadores por causa de uma reunião com um grupo de evangélicos. Crivella atribuiu as denúncias que originaram os pedidos a outros interesses.

“Quando chega no período eleitoral, as infâmias crescem. Elas se multiplicam por 10, por 20. É uma tentativa de tirar o evangélico do processo político do país. É uma tentativa de uma elite jornalística que acha que os evangélicos são desqualificados para participar dos debates”, disse Crivella.

O prefeito também rebateu as acusações de que tentou privilegiar membros da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) durante a reunião definida pela jornal O Globo como secreta. Crivella explicou que fez um discurso idêntico ao do encontro durante a entrega de casas a moradores em Jacarepaguá.

“No mesmo dia de manhã, eu entreguei 420 casas do Programa Minha Casa, Minha Vida, no bairro de Jacarepaguá. E lá está gravado o mesmo discurso que fiz para os pastores à noite. Só a Márcia que não estava presente, mas estava um auxiliar meu chamado Marquinhos. Eu disse ‘falem com ele para se inscreverem na fila do SisReg e poderem fazer a sua cirurgia de catarata’. Está provado isso”, destacou.

Marcelo Crivella também falou sobre outros assuntos, como os problemas deixados pela gestão anterior, as contas públicas da cidade e os feitos de sua gestão.

Fonte: Pleno News